08 maio 2015

Sonhos de Padaria. Ou quem sabe de cinema:vida.

   Dizem as más linguas que a gente aprende é com o sofrimento. E as boas complementam: ao invés de sofrer, aprenda com o sofrimento das outras pessoas.
 De tanto acompanhar sofrimento, achei que, neste caso,  seria prudente seguir as boas e as más línguas. E me sinto mais presente no presente. Saboreando melhor cada minuto dessa existência.

Hoje por exemplo, no final de um dia cansativo, fui à padaria. E diante de promessa feita ao sair de casa, pedi sonhos ao vendedor. Olhando em seus olhos disse: não são para mim, mas para minha filha. Eu preciso mesmo é fazer ginástica.

 O fato é que olhei para o moço e ele deixou de ser transparente. Já reparou que em geral nem notamos vendedores de farmácia, de padaria, de todo esse comércio que para nós é o da necessidade de cada dia? Lidamos meio no piloto automático com aquelas pessoas que nos atendem, talvez semana após semana, sempre as mesmas, conhecem nossos hábitos quem sabe, de cor. E percebem nosso olhar voltado para dentro.

                                                                sonhos de padaria
Um dia um milagre se dá: alguém acorda do torpor. Eu, E passo a observar quem talvez antes me observasse. A moça do caixa está com uma blusa amarela. Que cor mais linda, digo. Fica bem em você. Ela me conta uma pequena história, que viu um casaco em outra pessoa, e resolveu comprar um igual, também gostou da cor. "Dizem que ficou bonito". Sim ficou lindo em você, repito sincera.

E assim saio dali feliz. Sim, feliz por que fui a padaria e tive um momento de interação com aquelas pessoas que antes não existiam. Me dou conta do nascimento ou renascimento desse pequeno território antes ignorado por mim. Meu saquinho está mais cheio de sonhos do que as poucas gramas que pedi.  Quem sabe uma retribuição calorosa ao meu reconhecimento, finalmente: são pessoas ali, iguais a nós, com sentimentos, sonhos, vontades. Gente, e não robôs para servir.
                                       Sonhos de Kurosawa. Quanto lirismo nessa existência.

Experimente estar mais presente. Olhar a sua volta e reconhecer, mesmo que seja aos poucos, ninguém está cobrando pressa nem obrigação. Você vai receber mais sorrisos, mais simpatia e quem sabe até novos sonhos. Mesmo que seja apenas dentro de um saquinho açucarado e bem pesado. A vida fica mais leve.

imagens encontradas em busca no Google.

03 maio 2015

A-DEUS A ROSEANE. NOSSA AMIGA NUTRIANE. PRINCESA VALENTE.

  Hoje acordei pensando nela, fui olhar sua pagina no FB, alguma coisa estava estranha ali. Que sensação. Deixei uma mensagem e uma amiga dela me enviou uma mensagem in-box sobre sua morte. Sem eufemismos, do jeito que Roseane era. Falava da vida e da morte, com naturalidade, como deve ser. Então escrevi um textinho no FB. E como certeza, estou muito emocionada. Queria sim que ela tivesse sobrevivido a essa batalha. Por que vencer, ela venceu. Enfim, acho que devo colocar esse texto aqui, para homenagea-la nesse lugar que nos conhecemos. A" blogosfera".Lugar imaginário, onde podemos fazer amizades bem palpáveis. Mas sinto por não ter ido a Heidelberg, por não estar em SP quando ela esteve por aqui. E me alegro por ter conhecido essa pessoa maravilhosa, tão importante como exemplo, como como amiga, ser humano, vivente. Linda e valente. Tudo de bom. Ai vai meu texto então. Muito aquem da sua maravilhosa pessoa, Roseane. Mas a forma de expressar minha gratidão por ter conhecido você.  Blog da Ro:  http://nutriane.blogspot.com.br/
                                                       Roseane, nossa princesa valente.

A-DEUS A ROSEANE, NOSSA NUTRIANE.
Estava ouvindo o Abujamra dizendo tão bem a poesia de Mario Quintana. Sobre o tempo, a vida. E lembrei da Roseane Viana bloghttp://nutriane.blogspot.com.br .Roseane, uma moça tão linda, valente, das pessoas mais valentes que eu já conheci. Assim, nunca vi de perto, mas podia sentir sua presença forte nas coisas que dizia. Minha amiha de blog e de muitos anos. Um dia ela começou a falar, tem anos isso, que estava com cancer de ovário. Muito antes de Angelina Jolie expor publiciamente suas formas de prevenir a enfermidade. Enfim, eu fui lá dar o meu pitaco. e dizer a Roseane que não postasse sobre isso, e vivesse a vida. Bobagem minha. Ela me respondeu que ia encarar essa batalha e mostrar ao mundo, a quem tivesse ao redor, como é que é. Roseane contou suas dores, postou aqui suas fotos das sessões de quimo. Sua cabeça com cabelo e sem. E sempre sorrindo, valente, confiante. Um dia sua postagem me pareceu ligeiramente mais triste e fui saber por que. Ela me disse que o tumor era muito agressivo e resistente.
Mas muito mais resistente era ela. Que continuava sorrindo. E agora postando também sobre a morte, que faz parte da vida. Como o depoimento comovente da medica e os cuidados paliativos. Hoje li sua postagem sobre as amigas. Uma mensagem de adeus e consciente, com certeza. Não dá para tapar o sol com a peneira. A vida é como ela é. É preciso lutar pelo que se quer sim. Como Roseane lutou por amar a vida. Com garra, com fortaleza, sem frescuras. Mas é preciso também saber a hora em que já se fez tudo que podia. E apenas viver o tempo que se tem, aproveitar cada minuto, com muita clareza. Para que possa realmente ser curtido, cada minuto de felicidade que nos é dada. Não desperdiçar nada. Penso que essa é uma das liçoes que deixa Roseane. Querida amiga. Suas histórias dão um livro lindo João Scortecci . Estão no blog. O cancer não venceu Roseane. A vida é que cumpriu seu jeito de ser. E a Ro ( com sua pavulagem, so de onda, era muito tranquila essa moça) entendeu. E valente se foi. Com esse testemunho de que a vida vale a pena ser vivida. Merece que lutemos por ela. E isso é lindo. Quem tem a capacidade de lutar sem se entregar? Quem AMA a vida. Que virtude importante para todo mundo aprender. A gente pensa que sabe. Estamos na escolinha ainda. Beijos Roseane, muito grata por seu exemplo de coragem, de amor aos seres humanos, de namorada do seu marido, mesmo com toda essa luta.  Por seu apetite para o que havia de gostoso. Pelas pesquisas sobre nutrição que deixou para nós, como profissional excelente.. Pelo sabor valente que deixou para que possamos provar e pensar: a vida vale a pena. Sempre. Adeus estrela Nutriane.
                                                  A-Deus a nossa valente Nutriane

27 abril 2015

Contar é realizar antes de fazer. Por isso o silêncio é de ouro.

    Tem gente que conta um projeto, uma felicidade esperada, uma paixonite, ou seja la o que for, e a coisa desanda, Ah foi inveja, mandinga, olho gordo, olho grande? Pode até ser que essa influencia exista de forma assim  tão visceral e literal. O fato é que quando a gente conta para alguém tira a força sim.              
     
    Minha percepção a esse respeito, não vem da falta de figa, de vela acesa, da proteção divina, não. Mas do próprio ato de contar. Tem gente que sonha e quer muito realizar alguma coisa. Ai tem aquela necessidade coçando na língua  de compartilhar, de festejar, de estar feliz só de mencionar. E as vezes tanta celebração, por incrível que pareça, satisfaz. E até aquele medo escondido de que esta felicidade sentida só por sonhar, não seja superada por aquela, a de concretizar. E aí a coisa empaca.
   Foi o olho comprido da vizinha? Claro que não. Foi a nossa própria dificuldade em separar desejo desejado, e desejo realizado.
  Nesse caso o melhor a fazer é , bico calado. Guarde suas forças para seu próprio projeto. Não espalhe essa energia criativa prestes a explodir em mil cores na sua vida, contando para todo mundo que você quer que ela aconteça. Faça acontecer primeiro. E depois comemore. Boa ideia? Então isso podemos festejar. De agora em diante nossas máximas aspirações ou nossas pequenas grandes futuras conquistas, serão guardadas a sete chaves. Acumulando a sua vontade de realizar. Viva!!! Boa sorte para você. E bom trabalho, ao concretiza-la.


Imagens encontradas no Google:olho grego da sorte e criança.. Se forem suas avise,coloco os creditos. Grata. O blog é sem fins lucrativos,