17 julho 2014

Novela das Nove, só assisti esse final e nem sei o nome dos personagens. Mas sou fã do Manoel Carlos.

   Cheguei nos últimos capítulos. Não entendi quase nada, não sei o nome dos personagens. Mas adoro dar um pitaco em novelas. O que vi de bom:

-Adorei atuação de Reinaldo Gianeccini. Ele mudou como ator..Enfim, fez o que tinha que ser feito.

- A Helena de Julia Lemmertz foi muito bonita. Um personagem tridimencional. Mas triste, também a história é triste.

- Estão dizendo que Laerte não era vilão, como assim? Precisa matar para ser vilão?O personagem dele, destrói todo mundo, até a própria novela. Que vilão mais pernicioso. Dos bons, se faz de bonzinho e destrói qualquer enredo. Suponho que o ator deveria fazer outro tipo de personagem. Não é a primeira vez que o vejo no papel de um perverso da silva.

-Adorei o trabalho da mãe do Laerte. A atriz é genial. ANA BEATRIZ NOGUEIRA  E tem idade para ser irmã do Laerte e de jeito nenhum, a mãe. Ela é bem jovem, mas topa qualquer parada. Como a Julia Lemmertz. São grandes atrizes, que fazem mocinhas, velhinhas, loucas, o que vier elas traçam. Sem compromisso com beleza. Só com o talento, o trabalho. Maravilhosas.
                            Loucura e perversão, Em Família.

-Viviane Pasmanter tb dá um show. Ela devia fugir para Caratinga com o Laerte e o enredo não ter final tão trágico que estão anunciando.

- Bruna Maquezine me pareceu muito garota para fazer par com Gabriel/Laerte.Aquilo foi uma forçação. Ficou pesado para Bruna, penso eu. Mas ela aguentou firme até o final..me parece. Essa transição de atriz criança para atriz adulta deve ser difícil. Bruna só tem 18 anos, e não está mais em fase de fazer Malhação. Então entrar de sola como protagonista da novela das nove, com aquele personagem. Da-lhe garota. Seria preciso viver a vida, antes...

O que me pareceu estranho:não entendi onde a trama se passa. Falavam muito em Goiás. Mas não estavam lá. Se referiam como um lugar onde já viveram. quase todos , acho. Os cenários pareciam Minas e as externas, não dava para ter nenhuma idéia. Uma cidade fictícia? Complicado. Tinha muito ator jovem, desconhecido do grande publico ( eu). Então não tem ainda aquela experiência para brilhar só de chegar. Manoel Carlos talvez tenha lidado com uma falta de atores disponiveis? Ou foi generoso de dar a vez para os novos? O casal lésbico ficou meio sem graça. A Tainá é uma graça. A Antonelli é uma estrela. Mas o Felix da outra novela ainda está em cena. Eta personagem forte. Até hoje tenho raiva do ator Antonio Fagundes, pelo personagem Cesar, pai do Felix....Depois disso qualquer casal gay seria comparado e perderia a força só de entrar. Temática seguida. Ou vamos dizer que o casal gay já virou uma coisa natural. Que salto na televisão. Então ninguém deu muita bola. Mas acredito que o pior dano tenha sido tantos atores novos e desconhecidos. Novela das nove não é para fazer experiência, é para dar certo. É aquele ponto crucial da programação da emissora.  E viva Humberto Martins, estava comovente, assujeitado ao seu personagem, o paizão de todos. Me lembrou meu tio Luis. E quando a gente lembra assim, é bom sinal. Sinal de que o personagem é gente de verdade. 
                                 Lindos atores. 
E viva Manoel Carlos, seus personagens são vivos. Isso é tão importante, para a novela não ser apenas uma paisagem. Li que é sua última novela. E citam Viver a Vida como uma novela ruim.Foi a primeira que assisti de Manoel Carlos, e A-DO-REI. Personagens maravilhosos. Inesquecíveis. Toda a construção da trama foi bonita. Vida longa, mais ainda como noveleiro, para Manoel Carlos.

12 julho 2014

MIRE-SE. ATRÁS DO ESPELHO SÓ TEM A PORTA DO ARMÁRIO. Não acredite tanto nas filosofias das Redes Sociais.

 "A VIDA VAI TE DERRUBAR, LEVANTAR OU NÃO É VOCÊ QUEM ESCOLHE". Esse era o título do post mais lido neste blog. Sabe o que eu fiz? Tirei o post de circulação. Cansei de ve-lo toda semana no ranking das estatísticas. Essa frase não faz parte das filosofias de facebook. Ela vem do filme "Karatê Kid", aquele com  o. filho de Will lindo Smith, passado na China.

 Já contei aqui que todo filme tem uma frase. Você precisa escutar direitinho os diálogos, por que vai encontrá-la com  certeza. É aquela que resume tudo, que dá clareza do umbigo do assunto em questão. Veja: a vida vai te derrubar.... tem tudo a ver com um filme de luta.  E por que a vida é uma luta, todo mundo vinha ler isso aqui.

 Na luta da vida as pessoas vão buscando caminhos, indicações, indícios. E o tempo real da internet passou a ser o ideal , para quem quer uma respostinha imediata. Uma espécie de oráculo.

 "ESCOLHA O LADO FELIZ DA VIDA" Legal.boa lembrança. A vida tem um lado bom, um lado ruim. um lado maios ou menos, um excelente. A vida é multifacetada. Mas a internet com sua vontade de comunicar rápido tornou tudo bi. E ao mesmo tempo um show de oposições. Se você está triste, seja alegre. A maior pobreza é a riqueza,  quanto mais alto chega, maior o tombo e por ai vai, ou não vai.  E a gente lê, se impressiona, curte, não curte, mas assimila.

 O que eu gosto dessa brincadeira, é que todo mundo pode ter voz: Quem quiser cria um quadrinho e posta. Se não confiar na própria popularidade, ainda enfia ali um autor: Carlos Drummond, Clarice Lispector e Pablo Neruda, são alguns dos campeões em frases de efeito.  Imagina só. E se foi o poeta quem afirmou, eu hei de acreditar..... Puxa.

  Como diria Chacrinha, o importante é comunicar? É sim,  Então vamos lá.  Até agora não li  sobre nenhum "transtorno por leitura de filosofias de facebook", portanto, sigamos curtindo. Que a vida é curta, e devagar se vai ao longe.... Antes só do que mal acompanhados.... Quem muito quer nada tem.....Veja que os novos filósofos aprenderam com nossos bisavós. E algumas dessas frases se eternizam e se eternizarão em ditos populares.

 Só para lembrar que a vida continua rodando em ritmo frenético, o mundo bombando num amplo sentido. E nós podemos estar atentos para não engolir tanta besteira. Não nos sentirmos fracassados com tantas  mensagens sobre a felicidade e o amor. Tudo aquilo que é escrito por alguéns, é o ideal de alguéns e não alguma meta que não conseguimos alcançar. A vida vai continuar do jeito que é . Nós todos insatisfeitos a maior parte do tempo, incompletos e buscando uma completude que não há,  E uma definição de felicidade que não existe, por que cada um idealiza a sua.

Então deixo aqui uma das pérolas que encontrei nessas muitas bobagens de postagens, de poetas e filósofos de internet. Para mim é campeã: "que a felicidade vire rotina" , Não te parece bizarro?  Felicidade não é exatamente aquele estado especial, que alcançamos em momentos que fluem, engrandecem? Ou será que a felicidade é um estado de espírito, que ainda não chegamos lá.... e temos que continuar tentando?  Quem sabe no próximo Natal, pedimos a papai Noel? Se- nos comportarmos.  Ou quem sabe ainda, isso não exista como meta e que a simples rotina da vida diária seja a tal da felicidade. E por que custamos a entender isso, não damos valor ao acordar, respirar, vivermos um dia inteiro?


Proponho então que : A ROTINA VIRE FELICIDADE. Que possamos entender isso, e parar de fuxicar tanto, e sofrer tanto por que a tal ainda não bateu â nossa porta. Nem precisou bater, já estava la dentro.
Mire-se, atrás do espelho tem a porta do armário e  nada mais.... Pare de se lamentar, você já agarrou o seu quinhão. Vamos que vamos.  Sem destruir a felicidade,  fazendo com que vire rotina. Mas percebendo que a nossa rotina é a felicidade.

 Boa! Se quiser postar, nem precisa colocar um poeta. Pode colocar meu nome mesmo Pauline, Camille. como você preferir. Ou não assine nada. É de todos. Todo mundo já chegou lá.

Sorria, a rotina da vida é a felicidade. E quando você viajar, arrumar um novo namorado, festejar bodas,casar,  aniversários, faz parte desse todo, que se vive todos os dias. Boa felicidade para você.  Beijinhos.


10 julho 2014

O MAIOR VEXAME DO BRASIL COMEÇA COM E...

As vezes é preciso perder uma Copa  para focar no que é , de fato, importante..


A escravidão foi o maior vexame do Brasil, mas existem outros. Não vivemos guerras mundiais e não aprendemos a lição de renascer dos escombros, ter esperanças apesar de, começar de novo. Ainda assim está mais do que na hora da nossa reconstrução. Ou construção, de um país melhor. Senão vexame deixaremos para os nossos filhos. E o que farão dessa herança?

Fotografia encontrada no FB, Prof.Celso.