31 julho 2009

"Meu coração não se cansa, de ter esperança"

Domingo passado fui assistir “Coração Vagabundo”, filme documentário que tem o mesmo título de uma canção que Caetano Veloso interpreta: “meu coração não se cansa, de ter esperança”....
O filme mostra Caetano nos bastidores de algumas viagens: Londres, Nova York , Madri e algumas cidades do Japão. Vale a pena, é diversão garantida. Minha filha de oito anos também gostou. Sinal de que tem alguma graça, senão criança não agüenta.
Só de ver o Caetano cantar para mim já está valendo. Mas o documentário tem mais que isso, como o depoimento de Almodóvar, os japoneses cantando canções de Caetano, e um Caetano que eu não conhecia por que não o conheço mesmo, de certa forma modesto e franco.
Ele vai dizendo coisas, como se estivesse respondendo a uma entrevista de um interlocutor que a gente não vê e se não me engano, também não escuta. Então é como se fossem reflexões sobre uma série de assuntos, alguns engraçados, outros polêmicos. Como quando rebate a declaração de que o Brasil teria a melhor musica do mundo. Ele contesta dizendo que não, que a melhor música está nos EUA. Por que são muitos anos de desenvolvimento e músicos incríveis como Cole Porter e George Gershwin. Isso despertou a ira de Hermeto Paschoal, que então chama Caetano de “musiquinho”. Ele diz que realmente é um “musiquinho” e que isso atesta mais uma vez sua opinião, de que os grandes músicos, que não poderiam jamais ser chamados de “musiquinhos” estão nos EUA.
Eu gosto muito de Caetano Veloso, e sempre o vejo como a gente pode ver Michael Jackson, tipo bizarrices à parte , que não tenho nada que ver com a vida dele. E que eu saiba Caetano nunca viveu em Neverland, ao contrário, fez uma “Oração ao Tempo” que lida com a nossa passagem pelo tempo, como gente grande. E é uma das letras/musica mais lindas que eu conheço.
Ele é profundo, como eu entendo que o ser humano pode e tem mais é que ser. Por isso mesmo é melancólico, por que sendo tão profundo diante da existência, não dá para rir a toa não. Enxergo nele os muitos anos de análise com o mesmo analista que eu. O já citado, “Menino do Rio”, Rubens Molina, o verdadeiro muso dessa letra.
Mas principalmente, quando escuto as músicas de Caetano Veloso, a quem considero um gênio musical sim senhor, um superdotado e uma grande sensibilidade, eu fico feliz. Como fico feliz ao escutar o que Tom Jobim tinha a declarar à vida, com suas letras e notas. E a essa felicidade genuína, que preenche meu coração vagabundo ou não, eu agradeço a esses talentos, que traduzem tão lindamente em poesia pura, essa estranheza que é ser humano.

10 comentários:

  1. Amo o Caetano. Nada a acrescentar porque tudo seria suspeito, qd eu amo, amo.
    Agora o Twitter é bem legal, é um microblog que vc tem 140 caracteres por cada update para falr sobre o que quiser e para quem quiser. Enfim, só estando lá para entender ;).

    Um cheiro com muito carinho e ótimo fim de semana para vcs.

    ResponderExcluir
  2. Oi Camille.
    Caetano é um dos grandes da MPB.
    A propósito, duas espécies em extinção: grandes compositores e interprétes e a música brasileira de qualidade. No entanto, ouso discordar do menestrel baiano: acho que a música brasileira é, sim, a melhor do mundo. Esta é uma das razões pelas quais me ufano do meu pais.

    Um beijo bom pra você.

    ResponderExcluir
  3. Eu pretendo ver o filme.Também gosto do Caetano, tem o coração aberto, é pacífico e sereno.

    ResponderExcluir
  4. Quero ver esse filme, faz um tempão que eu não ouço Caetano. bjs

    ResponderExcluir
  5. Querida,

    Eu tinha perdido o seu endereço também! Ufa! vc me achou e fiquei muito feliz com isso!

    Sobre o meu post ...
    Não perdi ninguém recentemente, mas existiu uma pessoa que para mim será inesquecível, por isso, volta e meia falo nela e da saudades que sinto. O que conforta é exatamente oq descrevi: O vejo como anjo que me protege.

    Eu gosto muito de Caetano e esteou louca para ver esse documentário.
    Boa dica!

    Muitos beijinhosssssssss

    ResponderExcluir
  6. Amo a "nossa" música. Adoro nossos poetas musicais, nossos intérpretes. É na verdade a poesia que mais me toca. Não gosto de comparações, de taxações, de pesos e medidas. Tem tanta melodia boa, o que vale é o que nos toca.
    Vinícius, Caetano, Chico, Elis, Vanessa, Milton, Lenine... impossível nomear todos, são tantos.
    É muito gostoso ver esse tipo de filme que revela o outro lado da vida do artista.
    Beijinhos Cam

    ResponderExcluir
  7. Anônimo01:22

    Cam querida, quanto tempo não apareço.Fiquei muito atarefada e viajei um pouco para descansar a cabeça.Adorei o seu blog, sem falar nas Camélias que eu amo.Muito interessante!!! Vou atualizr o meu blog, coitado faz tres mezes que não coloco nada. Estou ainda envolvida com as fotos e com o Photoshop, estou fazendo aulas em casa,com muita paciência.
    Beijos, Edna

    ResponderExcluir
  8. Seu blog está lindo. Amei seu novo visual :)
    Ah..Caetano é TUDO. Adoro!
    Bjos e tenha um domingo bem iluminado.

    ResponderExcluir
  9. Tb amo Caetano,Tom, Chico...
    qdo a formatura?
    Bjs querida, Laura

    ResponderExcluir
  10. Uau, Camille, visual novo. Gostei!
    Congratulações.

    Um beijo.

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.