28 outubro 2014

Para mulheres românticas. E para as que não são também. Com essa sugestão dupla, quem sabe, se tornarão..

  Falou dupla? Você já pensa em par, namorado, amor. E viaja... Pois eu proponho uma viagem, uma gostosa reflexão de vasto olhar, sem sair de casa: Toscana. Esse é o lugar.  Em dois filmes que assisti de novo. Ah agora estou entendendo por que as pessoas são capazes do que eu julgava impossível:assistir mais de uma vez  um filme, quem sabe como eu, em épocas bem distintas. Fazer uma releitura, chorar em novas cenas. achar quem era velho, novinho em folha, encontrar novos sentidos.
   Assisti e recomendo: "Sob o Sol da Toscana" e "Cartas para Julieta".
                                                 Diane Lane em "Sob o Sol da Toscana"

   O primeiro é mais antigo, apesar de atemporal.  Um filme  que veio para ficar. "Sob o Sol na Toscana"conta um momento  da vida de uma escritora, que se sustenta com a sua escrita- viva os EUA, um país de muitos leitores- que está passando por um divórcio dolorosíssimo. Ela mesma diz: o divórcio é cruel, por que não mata como um tiro, é aos poucos, todos os dias". Ela se enfia em um flat para "divorciados" e daquela toca felizmente sai por que recebe de uma amiga que vai ter um bebê vindo de surpresa, uma passagem para a Itália. É ali que tudo começa a mudar: Toscana. Vale a pena baixar, comprar no jornaleiro, pegar na casa de vídeo, Corra atrás que é imperdível. Mesmo de novo.
                                                      a famosa foto: "O Beijo em Times Square"

 "Cartas Para Julieta"começa em NY, em plena Times Square, quando bela protagonista, quase jornalista e quase "detetive de fatos"  encontra o marinheiro da famosa foto do beijo, no pós-guerra. Sophie vai se casar com um chef de cozinha atarefado em abrir seu próprio restaurante. Mas antes de mais nada, os dois fazem uma viagem que o noivo chama de "pré-lua de mel", para Verona, terra de Julieta. Ali estão os maiores fornecedores do rapaz e a namorada, sozinha, vai buscar os pontos românticos da cidade. Encontra a "casa de Julieta", ponto turístico, onde dezenas de mulheres diariamente, deixam penduradas suas cartas, endereçadas a Julieta, com pedidos de conselhos para resolver os entreveros com seus "Romeus". De Vêneto, tudo vai parar na Toscana. Numa história representada por um grande elenco, cheia de reviravoltas e surpresas. Uma delas,  que eu já adianto: nasce uma escritora. E muito talentosa.  Uma beleza de enredo,em alguns cenários de sonho.
                                                Amanda Seyfried em "Cartas para Julieta"
   Assistir esses dois filmes, é equivalente a um banho de espuma, uma camisola nova, um perfume maravilhoso, um livro cheio de intimidade em que você se reconheça, um novo corte de cabelo. Um vestido especial que realce o quanto  é linda. Coisas gostosas que as mulheres, pelo menos as românticas,  tanto curtem e nem sempre se permitem. Tire um tempinho e assista. Pela primeira vez, ou mais uma vez. Certos prazeres merecem ser repetidos, com graça sempre renovada.
                                              Casa de Julieta em Verona, Na região de Vêneto.

                                           A região da Toscana, uma das mais lindas da Itália.
                                                        Com suas 10 províncias
                                                    e muitas histórias apaixonadas.


Se você gosta de histórias assim, leia "Mulheres Também Gostam de Contar- Confissões de Amores a Toda Prova"- Editora Scortecci. Também cheia de cenários lindos, mulheres especiais e romances que valem a  pena viver.







fotos: Diane Lane em Sob o Sol na Toscana, O Beijo em Times Square, Amanda Seyfried em Cartas Para Julieta, Casa de Julieta em Verona, e a região da Toscana, encontradas no Google.

8 comentários:

  1. Camille, querida!
    Estes filmes sã maravilhosos, nos transportam direitinho para aquele lugar de sonhos e que toda mulher, romântica ou não, adoraria conhecer um dia. Já vi os dois filmes um par de vezes, nem lembro quantas, adoro-os.
    Agora, só falta o seu chegar por aqui nas livrarias.
    E, já estive lá, sob o céu da Toscana, vendo aqueles belos ciprestes que ladeiam as estradas, que se movem como em balé lento ao vento, com seus tapetes verdes e loiros de vegetação. Inesquecível passeio que fiz com meu amor há 3 anos!
    um beijo gostoso carioca


    ResponderExcluir
  2. Que delicia.Suas viagens pelo que já li, são maravilhosas. E você então é daquelas que assiste diversas vezes um filme!!! Pois estou aprendendo. Filmes lindos, sim. Mais bonita claro, a realidade vivida.
    Super beijos,
    Cam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulheres Tambem Gostam de Contar vende on-line pela Cultura, Martins Fontes e Asabeça.
      Não tem distribuição nacional em livrarias, só on-line e na Cultura aqui de SP. bJOSSS

      Excluir
  3. Eu sou romântica... é um pouco vergonhoso admitir, porque parece que nos alimentamos de ilusões enquanto a verdade urge lá fora. Mas um filme que te tira do plano -- a tão procurada transcendência da qual há tantos séculos a humanidade alimenta-se -- é muito relaxante. Renova as energias

    Dos dois filmes citados por você, só assisti um, o primeiro. Gostei bastante. Senti ali uma mulher "empoderada", como se diz ultimamente.

    Recentemente assisti Orgulho e Preconceito, foi tão bom que fiquei em luto quando acabou. Minha sensação é que nunca mais um filme poderia reproduzir aqueles sentimentos de novo. Ontem assisti um filme sobre a pintora Frieda, uma versão premiada (fato que me deixa sempre com muitas suspeitas). Foi maravilhoso... Mas tive dúvida se aquela mulher passiva, calma e amável era uma representação minimamente honesta do perfil temperamental da artista. Frieda nasceu em julho, o que deu asas à minha imaginação... hahaha

    Beijos Pauline!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michelle querida, você acertou: a Frida é canceriana sim!!! Como nós!!! Romantica, sonhadora, mas... de passiva não tinha nada. Uma mulher com uma força espetacular. Apaixonada por seu marido, como as mulheres sem apaixonam. de uma forma toda especial, diferente dos homens. Assim, parecia que ela gostava mais dele, do que ele dela. Mas não era assim. Depois que ela morreu, ele ficou muito mal. Vi todas essas historias contadas pelos museus que tem no Mexico. Eles são dramáticos como nós, todo mundo latino...Que versão premiada é essa? É aquela da atriz famosa? Esqueci o nome dela. Mas foi esse que assisti. Então a moça "alpha" é romantica? Tá certo.Dá perfeitamente para ser as duas coisas. Bjao.

      Excluir
  4. Olá, querida
    Um dia, se Deus quiser, vou por lá... seu post ainda mais convidou...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Roselia. Viajar é o que há de bom.Na imaginação, através dos filmes, dos relatos de outros, ou indo mesmo. Boas viagens para você. Bjos

      Excluir
  5. Sabes que quando vi o filme "Sob o sol de Toscana", falei para mim mesma ...vou visitar essa região e em Agosto de 2014, fui eu e uma amiga...linda a região...mas fiquei em Florença...visitamos Pisa e partimos para Veneza...Valeu muito a pena...é muito lindo tudo...beijos

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.