20 abril 2014

"A Morte Necessária de Charlie Countryman".Em Bucareste ou em Budapeste, de qualquer forma, um roteiro improvável.

  Para relaxar do grude no computador, concluindo um trabalho prazeroso mas longo,  e de prazo curto, me meto a assitir  “A Morte Necessária de Charlie Countryman".  Protagonizado pelo americano Shia Labeaouf, daqueles atores que você reconhece o rosto , sabe que é bom  ao bater o olho, mas não lembra de nenhum filme que tenha feito.  Vasta filmografia, mas com pérolas como Transformers 1 e 2.
E outros menos comerciais e, quem sabe, mais interessantes.

Esse de agora, talvez seja mais um, que dificilmente será lembrado como um grande filme. Embora seja entretenimento: briga  de gangsters, que não chega a causar  indigestão depois de um almoço de domingo, ainda bem. Parece mais um pretexto para apresentar a existência de Bucareste, capital da Romênia, como uma cidade possível de ser visitada.

O filme começa com uma cena de eutanásia da mãe de Charlie( Shia). Que após a morte, aparece na imaginação do fiIho ,ou como um fantasma,  dizendo-lhe para ir, sem questionar , para Bucareste.
 Ele acata a sugestão e desde o vôo até lá,  vão se sucedendo fatos que não chegam a ser impossíveis, mas são bastante improváveis.
Quer que eu conte ou vai assistir? 

                                                   cartaz do filme
                                                
Na cidade, ele vem a conhecer Gabi ( a atriz americana Evan Rachel Wood) com um suposto sotaque romeno em seu Inglês, e a quem não consegui identificar como  alguém conhecido.  Charlie  apaixona-se pela tal Gabi,  bonita, violoncelista, que ao mesmo tempo é bar woman em um boate de strip tease e ex mulher de um gangster local.  Representado pelo excelente ator dinamarquês Mads Mikkelsen, que recentemente brilhou no filme “A Caça”, tornou-se conhecido pelo massa que assiste TV pela serie “Hannibal”. E  tem a minha admiração desde o filme dinamarquês “ O Casamento”, que assisti em NY há uns anos atrás, mas não sei se passou perto dos nossos cinemas. Pouco comercial para nosso bico tão americanizado.
                                                Shia e Evan em cena

O filme é basicamente isso: guerra de gangsters, com um americano recém órfão de mãe, tomando paulada de todos os lados, para defender a mocinha da trama ,  um mulherão,  bem vivida  e bastante  safa, sem a necessidade de um anjo da guarda de tamanha fragilidade e  ainda, deslocado no tempo e no espaço.

Dependendo do dia, o espectador é generoso e engole qualquer coisa. Foi o meu caso.
No final da história, a mãe do saco de pancadas reaparece para dizer que se equivocou: era para ele ter ido para Budapeste e não para Bucareste...

Logo, a  moral da história é:    Bucareste, capital da Romênia é uma coisa. E Budapeste, capital da Hungria,  é outra coisa.  Ambas merecem destaque como lugar de turísmo. Mas enquanto Budapeste está nos roteiros de viagem. Bucareste permanece no ostracismo.  E o filme justamente parece vir de encomenda: visite-me. Valho a pena . Pode ser, Bucareste.( "a pequena Paris")  Como pode não ser. Fica aí a minha dúvida quanto a cidade. E minha certeza quanto ao filme: não vale o ingresso. No máximo, assista na televisão.

Fotos de divulgação do filme encontradas no google

4 comentários:

  1. eu às vezes vejo filmes de gângsters. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Eu tb vejo, é bom quando tem um minimo enredo que justifique a existenia do filme.. ne?
    Bjao, boa semana querida!!!

    ResponderExcluir
  3. Não conheço esse filme, mas parece interessante
    Hoje tem dois posts no blog.
    big beijos
    LULU ON THE SKY

    ResponderExcluir
  4. Legal Lulu, vou conferir. Bjos!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.