16 julho 2013

"Mesmo sendo errados os amantes, seus amores serão bons"..

 Outro dia mesmo, lendo um desses momentos de sabedoria que o tão sábio e esclarecido Yehuda Berg envia para seus milhões de leitores, fiquei em dúvida quanto a um texto e horas mais tarde, estava concordando com ele. Mas aquilo me deixou pensando( excelente quando os textos nos dão essa oportunidade. Quando o pensamento de um faz os pensamentos de outros, refletirem, uns nos outros) E assim voltei a questiona-lo:


“SABEREMOS
Sexta-feira, 12 de julho de 2013

Recentemente, um aluno veio falar comigo, me contando que estava dividido entre dois amores, e me perguntou com quem deveria ficar. Naquele mesmo dia, outro aluno me disse que não conseguia decidir se iria viajar para as Bahamas ou para a Austrália nas férias. Embora a primeira pergunta tenha mais peso do que a segunda, minha sugestão para os dois alunos foi a mesma.Quando não conseguimos decidir qual das duas opções é a melhor, geralmente não devemos optar por nenhuma delas. Quando algo for realmente certo, saberemos.” Yehuda Berg




Tenho  uma lembrança límpida de quando trabalhava em criação de publicidade que, ao chegar a um título realmente “matador”, não só eu sabia, como todos concordavam. A mesma coisa eu sentia com relação ao trabalho dos outros colegas. Quando nos debruçamos sobre uma idéia, e nela pensamos pelo menos algumas horas, as vezes dias, criando diversas combinações de palavras, como em um jogo enigmático, um quebra-cabeças de mil peças, que vai se completar justamente quando eliminarmos todas as  que não servem e ficarmos apenas com aquelas poucas e essenciais.  Aquela pequena frase inteira que emerge e comparece certeira, deixando a todos boquiabertos, diante de nossa própria perfeição.  Na apropriação de palavras apropriadamente, enfim, uma certeza se dá, uma certeza se tem.

Nas outras coisas todas que experimentei na vida, fora me apaixonar perdidamente pelo rostinho de meus filhos assim que os vi pela primeira vez, não tive toda essa certeza.
Penso que, quando estamos diante de duas coisas que não sabemos qual escolher, não é o caso de abandonar as duas. Talvez experimentar- se for possível, as duas, ou ponderar por outros critérios, que não a "prova", para escolhermos . Não tenho essa tranqüilidade em  dizer – “quando for algo realmente certo, saberemos”.
Por que errei  uma porção de vezes no meu julgamento. Você também errou?  É, e o que é que tem?
Observo com certa facilidade a diferença entre uma patologia e outra , entre um anúncio medíocre e um muito bom, entre uma receita realmente poderosa e um mero pratinho fingindo ser o que não é: alta gastronomia.  Mesmo assim posso cometer enganos. Nada na vida é tão preto no branco, exato, definitivo quanto saber como uma luz de farol, quando algo for realmente o  “certo”, emocionalmente falando. Principalmente quando se trata de escolher entre dois amores, ou alguma coisa menos importante ( para mim pelo menos) quanto ao próximo destino, Bahamas ou Austrália. Eu ficaria com a Austrália, mas isso definitivamente, não vem ao caso. 

O fato é que, o que eu vejo na vida, na minha, na sua , na deles, nas nossas, é que erramos- , acreditando que sabemos quem é a encarnação do amor de nossas vidas. Por que em determinado momento nos convém ou precisamos acreditar que encontramos esse bem tão precioso. Acertamos por sorte, e temporariamente,  no meio da dúvida entre diversas alternativas, qual é a melhor para nossa satisfação.

E a vida é isso: tentativa e erro, e aprendizagem com uma coisa e outra. Uma grande aventura, onde podemos nos confundir na trilha da floresta, no mapa de navegação em alto mar. Podemos nos perder na voracidade do achar. Mesmo assim é bom. É viver. Mudar de rumo, caminhar, experimentar sem tirar pedaço,  sentar para descansar, seguir em frente, por que tudo que fizermos há de ser melhor do que não ter feito nada. Com alguma certeza e um pouco de cautela, vejo as coisas por ai. E fico por aqui com esse pensamento tão poético: “mesmo sendo errados os amantes,  seus amores serão bons”....

   CHORO BANDIDO
( Edu Lobo e Chico Buarque)
Mesmo que os cantores sejam falsos como eu
Serão bonitas, não importa
São bonitas as canções
Mesmo miseráveis os poetas
Os seus versos serão bons
Mesmo porque as notas eram surdas
Quando um deus sonso e ladrão
Fez das tripas a primeira lira
Que animou todos os sons
E daí nasceram as baladas
E os arroubos de bandidos como eu
Cantando assim:
Você nasceu para mim
Você nasceu para mim

Mesmo que você feche os ouvidos
E as janelas do vestido
Minha musa vai cair em tentação
Mesmo porque estou falando grego
Com sua imaginação
Mesmo que você fuja de mim
Por labirintos e alçapões
Saiba que os poetas como os cegos
Podem ver na escuridão
E eis que, menos sábios do que antes
Os seus lábios ofegantes
Hão de se entregar assim:
Me leve até o fim
Me leve até o fim

Mesmo que os romances sejam falsos como o nosso
São bonitas, não importa
São bonitas as canções
Mesmo sendo errados os amantes
Seus amores serão bons....

(Uma coisa eu sei: se encontrasse Edu Lobo ou Chico Buarque, transbordantes de poesia, me apaixonaria com certeza. Será? Pelo menos morro de amores ao ouvi-los...)
                                                    Certeza de grande talento e sensibilidade.


10 comentários:

  1. Camille, vc disse tudo o que eu precisava ouvir (ler).
    Tem horas que minha cabeça dá um nó e não consigo desmanchá-lo. Eu que sempre procurei viver um dia de cada vez, caio nessa dúvida sempre. Será o signo Libra que é a dúvida em pessoa?
    Medo de errar mais uma vez? Medo de se entregar? Medo da pessoa não ser a ideal mesmo tendo quase certeza de que é a pessoa ideal pra você?
    Dúvidas... muitas... e o tempo passa....

    Te mandei email, vc viu?

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Bom dona Clara, como diz o povo, coragem não é ausência do medo, é mesmo com ele, conseguir dar os passos na direção que bem entende. ( ou seja, ultrapassar os obstaculos mesmo com medo) Vi que voce me enviou um email. Vou abrir hoje mais tarde.
    Beijos e muito grata por ler e dar a sua opinião e o seu depoimento. Moça de coragem. Taí.

    ResponderExcluir
  3. Ai nem fale dar de cara com um Chico Buarque, eu acho que ficaria perplexa!
    E eu já disse lá no meu pedaço, sou daquelas que posso errar, mas não deixo de fazer aquilo que penso e quero. Na verdade tudo que fiz ou tentei foi por amor e se foi assim, tal qual esta frase do seu texto, trocando apenas uma palavrinha no meu caso- "Mesmo sendo errados os atos
    Seus amores serão bons...."
    E é aquilo, é preferível errar, mas tentar, senão nunca saberemos se foi bom ou mal.
    um super abraço carioca



    ResponderExcluir
  4. É isso ai Beth. Melhor tentar do que nao tentar e jamais saber como seria. Ja vi filmes tao incriveis em que uma ação X desencadeia todo um fio da meada de uma vida inteira. Temos que correr atras do que acreditamos.
    Chico Buarque vi alguma vezes na nossa cidade e não desmaiei( jogando futebol, jantando, comprando na padaria, etc) Agora se fizesse uma musica para mim, nao sei não.... E Edu Lobo nunca vi ao vivo. Sou capaz de ficar perplexa, como diz você. Beijos querida!!!

    ResponderExcluir
  5. Difícil não se apaixonar por Chico...mas a vida é assim mesmo, com coisas boas e ruins, amadas e odiadas, verdadeiras e falsas... mas viver é uma aventura, e nós escolhemos o caminho sem saber se é o melhor ou pior, e assim vamos levando. Bom findi, bjks!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida. A vida é a vida. Quem explica? Cada um dá a sua versão. Super beijos. Boa semana!!!

      Excluir
  6. A gente só sabe se tomou a decisão certa, tentando não é mesmo? isso vale pra tudo na vida.
    Ótimo domingo
    Big Beijos
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Lulu. Otima semana!!!
      Bjos

      Excluir
  7. Oi, Cam!
    Algumas decisões são mesmo difíceis de tomar, ainda mais quando repercutem na trajetória de vida e podem mudar o nosso futuro. O errado é olhar para o passado e se arrepender do que fez! Se foi certo ou errada a decisão, naquele momento era a decisão certa! É tremendamente desmotivador para a vida, se censurar de uma decisão tomada. Olhar para a frente e seguir nossa intuição. Amor então! Se quebramos a cara, pelo menos o amor foi vivido enquanto durou... amar independente da forma, é sempre bom. Ruim é perder a capacidade de amar!
    Gostei do pensamento de Yehuda Berg. Quando não podemos decidir por algo, que esse algo se decida sozinho. Por que não podemos amar duas pessoas ao mesmo tempo? Quem foi que instituiu a regra de um amor por vez? Bah...
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Estamos concordando inteiramente nessa Luma. E em outras também. Em cada palavra.
    Bjos moça.
    Cam

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.