16 março 2013

Boas vindas ao Depardieu Sloveno: Slavoj Zizek

                                                                 Zizek o pensador .
Até umas  semanas atrás era virgem de boca de  Slavoj Zizek .  Bastou um livro, “Bem Vindo ao Deserto do Real”.....para que eu ficasse surpresa de não ter ouvido nem falar de Djidjek.. Puxa, onde é que eu estava? . É isso ai moço, naturalmente bom demais. Alguém que mistura Lacan e Marx na mesma frase, já tem meu sorriso aberto. Mas esse liquidificador do agora, esse  Gerard Depardieu (pelo tipo enorme e brilhantismo, nada que ver com questões fiscais) sloveno, faz muito mais do que isso. Ele junta tudo num texto ágil, despreocupadíssimo em  falar como um intelectual  acadêmico,(  e essa mega celebridade   com tanta formação,  precisa ficar se mostrando?)  Ele é o cara do momento.  E merece, No que me diz respeito,  me fez pegar seu mais recente livro de umas 1000 páginas, e ter vontade de ler, ali , “Menos que  Nada” ,  encostada na parede da livraria, como quem lê uma revista, que fala de tudo, que saiu fresquinha, que junta filmes que assisti há mil anos e amei , com outros que vi  outro dia, relacionando-os as questões atuais.. Todos os conflitos  desse nosso mundinho.  Debruçado em  Lacan e Hegel, sem vertigens. É olhar e ver.. A coisa em si captada por ele.. .  Além de apontar  novas formas de ler o Capital. E  dar explicações muito práticas sobre as relações: “preferível uma mulher dizer que ama o milionário pela sua fortuna e poder” do que por  “alguma coisa a mais, nele mesmo” Se ficar pobre,  o pobre milionário já sabe que a tal , o largará. Mas se o amor  dela for por essa coisa a mais, socorro. Vai começar toda aquela neura de como cria ou deixa de criar  laços. Aff.  .

.Tudo fazendo sentido, claro.  Tudo subsiste num mesmo momento. Não há como especializar-se no ponto X, quando se é sociólogo, psicanalista, filosofo, . Um bocado de coisas são a vida, de uma só vez. E  todas elas se comunicam hoje , com a velocidade da web. Perde o bonde quem levar dez anos elaborando uma tese da vida presente. Ao publicar já será e terá passado. .  E é por isso que  o tal livro tem de tudo um tanto. Sem excessos  ou firulas,   mas com grande opulência do pensar. Folheei, dei risada e não levei. Mas já estou com saudades.
                                                  Zizek e uma formação espetacular que não 
                                                  está em foto, mas ele contém e não  retém 
                                                    só pra si. Generoso na sua opulência.

Trouxe outro, mais denso, mas também super vivo: sobre objetos, ângulos e pontos de vista. .  Vou voltar na livraria, e pegar meu exemplar  da" revista" de mil páginas. Parece um blog gigante impresso em papel. Alguma coisa que você não vai grifar nem fazer tese. Já está feita. Por alguém que veio e desatou o nó com a tesoura. Mais fácil do que obedecer, sentar num cantinho e passar horas e horas, tentando desamarrar o que  estava apertado demais para a sua paciência.  Vamos ser práticos colegas, parece ele dizer, o jogo do mundo está pela boa , e “estou preparado” para o caso do fim. Mas antes disso, vou curtir o que tiver que curtir, Como um Pavarotti diante de uma partitura emocionante, mas igualmente encantado por um bom vinho e um pratão de fetuccine.
                                                 Zizek, a "celebridade" gente como a gente. 
                                             Tudo como a leveza de um blog, bom de ler.

Prazer,  e não só sisudez. Desejo sempre de pé. Pensar o mais livremente possível,  entre as viseiras que nem reparamos, mas nos faz olhar para um lugar só: aquele que querem que olhemos. Reconhecer as viseiras e de preferência, tira-las. Isso. . É um autor que não vou estudar, nem  teorizar sobre ele. Vou ler com prazer, por que é acessível e rápido, longe de ser raso ou medíocre. Ao contrário. É um monumento erigido em favor da nossa capacidade de pensar com menos pudor, medo , autocensura, respeito com reverencia  demais, ao que disseram antes sobre X YZ....    Me abriu uma janela,  um novo ar entrou aqui

Agora abro a porta e lá vou eu. Para a inspeção do Controlar. Hehehehe. É a vida. Fazer o que? Viver.

(texto para a Amiga Fátima Lampreia Carvalho. Também gênio. Cabeça pensante preciosa. E amiga de Zizek.)


6 comentários:

  1. anotado. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Uau! Quanta empolgação! Merecida.

    Conheci os textos dele porque uma moça da minha sala formou-se onde ele deu aulas e é da mesma cidade que ele, e também porque tive um professor que de super tradicional resolveu incrementar o repertório da disciplina e chapiscou de autores intrigantes, polêmicos e nada convencionais à Academia. Imagine o rebuliço! Eu, claro, adorei. Meu professor justificava dizendo que aquilo que ele escrevia não servia pra nada, mas era interessante. Bem, ele deve ter os motivos dele pra dizer isso depois de tantos anos, mas não nega que Zizek também o seduziu.

    Engraçado, imaginei que você fosse gostar quando vi aquele vídeo dele falando em Lacan, Marx, Hegel e mais uns tantos "amiguinhos" seus. E que chique conhecer uma amiga do Zizek, hein?! Manda ela convidar ele para vir ao Brasil, já que ele adora teorizar sobre as Américas, e falar sobre a questão indígena! Quero ver ele cortar esse nó em vez de desatar!

    Bjão, adorei o post. Vai falando mais sobre aquilo que você ler e quando eu estiver por aí, me empresta, tá? Hahaha

    Michelle

    ResponderExcluir
  3. Alguem me disse ontem que ele esta aqui. Eu tinha lido que iria a Pernambuco. Mas nao tenho esses pendores de fã, pra ir atrás do sujeito pegar um autografo...aquela vez do Umberto Eco eu dei de cara, ai, era a primeira da fila de autorgrafos. Entao peguei, claro. Mas aqui, ir a Recife, so se for pra ver minha amiga Jan, as belas praias e tal. Mas vai que ele va na USP ne? Tou dentro.
    Os professores dai nao devem ser bobos nao. Talvez eles nao entendam muita coisa, por causa da teoria de Lacan na maior parte dos livros e as pessoas boiam. Dificil falar de Lacan sem conhecer e sem ter feito analise. De preferencia , Lacanians mesmo. Tem muitos tersmo proprios e tal. Mas todos os assuntos nos interessam como seres humanos, entao acredito que os professores nao queiram passar ao lardo de pessoa tao brilhante. Bjos ( adorei os filminos, embora tenha visto tudo meio cortado.)

    ResponderExcluir
  4. Ja esteve, não sei se ainda está. Está no livro. Otimo. Bjos Mi.

    ResponderExcluir
  5. Hoje é Dia dos Amigos Virtuais. E digo, que mundo fantastico. Amo vários.
    Eu os conheço, voces me conhecem. Ninguem conhece uma pessoa totalmente, nem pessoalmente, nem na imaginação, mas AQUI somos 100% solidários. Nos amamos, mesmo que desta forma moderna.

    Beijos e tudo de bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana, beijos querida. Agora ja passou esse dia. Mas todos os dias sao os dos amigos virtuais.
      Bjão e obrigada pelo carinho.

      Excluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.