31 janeiro 2013

Como foi a sua primeira vez?

      Assisti semana passada uma peça "A Minha Primeira Vez", com direito a minha filha e sua amiga, ambas com 12 anos, darem risadas de excitação, curiosidade, diante daquela troupe de jovens atores, veteranos na vida, aos olhos delas.
 
 Hoje assisto ao filme "Artes Liberais", sobre universidade, professores, carreiras, alunos e os males da intelectualidade melancólica. E de novo, o assunto da "primeira vez": o tema central da trama é uma moça de 19 anos interessada em um ex-aluno de Literatura. Ele cheio de dúvidas quanto ao relacionamento, por ser bem mais velho e pela protagonista ter contado que seria a "sua primeira vez"...E não seria depois de formado e bem vivido,  também a  primeira do rapaz, com uma  estudante que esperou para começar  sua vida sexual com um parceiro interessante como ele? Por que não vivê-la?
                                                foto de divulgação do filme citado.
 
   "Para tudo tem uma primeira vez", já dizia o sábio no botequim da esquina, e a frase se eternizou: o primeiro porre, a primeira namorada, o primeiro divórcio, o primeiro emprego, a primeira  escalada ao Everest( você não experimentou? Nem eu...pois é..) Há sempre uma primeira vez.

      A primeira vez que se vai na excursão da escola, a primeira vez que os pais veem seus pimpolhos partirem sem eles. A primeira vez que alguém....  atravessa a rua sozinho.  Lê um livro até o final.  Sente a amplitude de  ver o mar.  Encontra um cabelo branco. Pinta o cabelo para esconder um monte desses fios. A vida é feita de primeiras vezes, e ainda bem. Já basta o tanto de repetições que fazemos mecanicamente sem nem mesmo perceber.

    Já entrou em uma sessão de animais noturnos no jardim zoológico? Ali pode-se, com muito realismo, observar o  ir e vir dos ratos, que no escurinho artificial do aquário- nossa forma de dar uma "espiadinha"- vivem suas curtas existências. E talvez pensem -será ?- que são vidas,  fatos e escolhas, da maior importância. Mas para quem está humanamente de fora,  tudo acontece como em um filme acelerado: o rato come, dorme, acorda, faz um filho, dois, anda pra la e pra cá, e repete todo o ciclo novamente. Provavelmente sem jamais ter se preocupado em fazer diferente, em ser original. Em experimentar pela primeira vez alguma coisa.
                           Imagem  Can Stock encontrada Google ( blog sem fins lucrativos, grata)

       Já ouviu aquela velha letra do Chico Buarque?" Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às 6h da manhã, me sorri num sorriso pontual e me beija com a boca de hortelã.... Todo dia eu só penso em poder parar, meio dia eu só penso em dizer não , penso na vida que tenho pra levar, e  me calo com a boca de feijão".....Eta poeta do bão. Numa capacidade de síntese rimada, ritmada e linda,  dizer que aquela batucadinha besta se repete à exaustão. Que até pensamos em fazer diferente, mas  estamos mais é cercados de milézimas vezes do que de primeiras vezes no nosso cotidiano-aquário-sabe-lá- de- alguém.

 Por isso a primeira vez em que se pisou na lua é tão importante, e quem pisou também Neil Armstrong. Por que ali a experiência da primeira vez, está também relacionada ao pioneirismo, enobrecendo o ato, e tornando-o histórico para o mundo. Mas será que nosso universo particular é menos importante que o mundo inteiro? Acredito que não.
                                                  A sensação de pisar na Lua pela primeira vez.
 
   Portanto respeitemos nossa decisão de fazer alguma coisa pela primeira vez. Por que pode ser o fato desencadeador de alguma coisa nova, bela, que trará outras mais. Ou pelo menos mostrará que temos um tanto de coragem de experimentar, de experienciar. E finalmente, que estamos atentos,  procurando caminhos e crescimento para as nossas vidas. E que teremos do que nos recordar. Por que a primeira vez de muita coisa é marcante mesmo: o primeiro beijo, a primeira transa, o primeiro filme no cinema, e o que mais você tenha vivido e faça parte desse álbum de retratos que compõem a sua história. Guardemos com carinho. Por que é o que temos para contar para nossos netos, bisnetos, ou para constar do nosso obituário.
Mas mesmo que seja só para isso, vivamos.
 
     E se " a primeira vez" começa a surgir ou a re-surgir  e até se torna tema recorrente nos enredos que se apresentam em nossa cultura, em nosso pequeno mundo, é um sinalizador especial de que estamos precisando viver mais intensamente essa única vida que temos. Irmos um pouco mais fundo. Encantarmo-nos com o que quer que apareça, mesmo que seja alguma coisa aparentemente pequena, quase irrisória.
                                          A primeira vez que se sorri com dois dentes( baby laugh, busca google)

     Hoje pela primeira vez reparei no sorriso de satisfação de um funcionário do supermercado, quando, no meio de um monte de papeizinhos com códigos de barra, finalmente encontrei aquele que abriria a cancela do estacionamento. Gargalhou como um menino, uma pessoa presente. Que talvez goste do que faça.  E quem sabe,  seja alguém que esteja vivendo , pela primeira vez, alguma coisa nova dentro de si.  Vai saber. O que importa nisso tudo? A vida. A experiência. Você. Olhe-se, perceba-se, encare-se, pela primeira vez,  nem que seja a última, que faça esse esforço. Pode ser.  No aquário, que seja. Mas com boas lembranças de cada túnel, de cada buraquinho, de cada pedaço de queijo..... Vi. Ver...

10 comentários:

  1. Cam, legal o teu texto, melhor ainda tua visita na Saia.

    Olha, eu ja perdi a conta de como chegar no teu blog. O link nos meus favoritos nem sempre funciona e qdo clico preciso para cada texto teu um convite, ficou complicado vir te visitar...


    Bjos e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. A primeira vez de cada coisa que realizamos gera uma certa expectativa e ansiedade.
    big beijos
    Lulu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Lulu, faz parte do viver. Bjos e obrigada pela visita.

      Excluir
  4. Camille.... o primeiro beijo na boca... roubado, inesperado, inesquecível!

    O restante da primeira vez com esse assunto não foi bom...

    Engraçado, Camille, que o primeiro beijo apaixonado virtual, foi assim também, e agora que tô me dando conta, menina!
    Roubado, inesperado, inesquecível... será coincidência? Não acredito em coincidências....

    Beijos....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A primeira vez da maior parte das pessoas não é muito boa: medo , expectativas de todo tipo, dor, susto, fantasmas sobre o assunto. É assim mesmo, depois fica melhor. O primeiro beijo virtual, ainda mais como um beijo roubado, deve ser interessante. Nem consigo imaginar. De toda maneira, não é coincidencia, são modos de operar, de agir ,a dinamica de cada um. Você Clarinha, gosta de beijos roubados e seus parceiros entenderam isso igualmente, não acha? Bjos dona romantica. Torço para que tudo dê certo no seu lindo romance.

      Excluir
  5. A primeira vez sempre tem seus encantos e desencantos também. É permitido errar e acertar.
    Ainda quero ter muitas primeiras vezes, especialmente em lugares desconhecidos, experimentando comidinhas, acertando e errando também.
    Bjks e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. É isso mesmo, muitas primeiras vezes, cada vez melhores, mais saborosas. Bjos e boa semana para voce tambem amiga!!!

    ResponderExcluir
  7. Como foi a sua primeira vez? Tenho que prestar mais atenção. Afinal, pode ser a primeira vez de algo e não me dei conta, mas existe primeira vez de coisa boa e primeira vez de coisa ruim... Todo mundo tem primeira vez, mas do quê Camille? Sobre as coisas do coração, não dou mais importância as coisas que passaram - talvez relembrar com quem a gente ama é meio de reafirmar a relação - mas gosto mesmo de lembrar da última vez, pois dá mais vontade de reviver o que temos. Na análise das possibilidades, lembrar da primeira vez é sempre fantasioso - os detalhes ruins são esquecidos e os bons floreados. Para quem ainda não teve a sua vez... melhor deixar acontecer naturalmente.
    Estou cá pensando em fazer pela primeira vez algo que ninguém ainda fez. Vamos pensar juntas? (rs*)
    Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Pois é, isso mesmo. Primeiras vezes de coisas muito passadas, viram reminiscencias. Mas na peça certamente a "-primeira vez" era a primeira transa. Ja vi um livro voltado para adolescentes com esse titulo tb, acho que convencionou-se quando fala "aua primeira vez" é transa. Para mim seria a primeira vez que andei de asa delta, esta muito mais presente. Na peça tem alguma coisa bem engraçada, um depoimento da Palmirinha, aquela senhora que faz comida na TV e ela diz "não sei, já me esqueci", hehehehe, com o avançado da idade ela deve realmente ter coisas mais interessantes para lembrar e ja ter esquecido da tal primeira vez entre aspas. De qualquer forma ter primeiras vezes sempre é bom demais. Melhor do que sempre fazer a mesma coisa nao é? Vamos fazer uma coisa que ninguem fez, ou pelo menos pensar juntas , no que seria? Vamos!!! Partindo de voce ha de ser alguma coisa bem criativa. Bjos!!!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.