21 novembro 2012

Sessão de Terapia. Encarar as vezes dói. Mas se o paciente insiste, depois a vida fica mais fácil de viver.

   Continuo gostando da Série Sessão de Terapia. Não dá para entrar no mérito se tal coisa seria melhor assim ou de outra maneira. Por que esse programa não é o "Você Decide". É gosto, não gosto. Não gosto, mudo de canal.

O que eu menos gostava era o caso do policial. Talvez não tivesse dando muito "ibope" e "mataram" o sujeito. Talvez não.  Tenha sido isso mesmo,  o que estava previsto para o personagem. Vendo ontem, o pai dele ali, aquele sofrimento todo, dele e do analista. Tão real, dentro do que são as caracterizações.

Que o sujeito tenha ficado na dúvida entre atirar ou não a partir do momento em que estava se sensibilizando  na análise e descobrindo suas reais motivações, é incontestável que isso aconteça. Agora, que ele tenha titubeado por ser gay, é  ridícula essa ideia, só mesmo um pai  com tanto medo da própria sexualidade  poderia pensar assim.  Deve haver gays na academia de polícia. Ser gay não é não saber ser duro,  ou incompetente diante de um trabalho, seja lá qual for.. É  uma escolha de- a qual tipo de pessoa dirigir o seu afeto, sua libido, sua atração, no caso, para outra do mesmo sexo. E as vezes nem há a escolha, ela fica latente esperando um momento para aparecer.
                                       
                                       foto encontrada no Google, do ator ZeCarlos Machado

   O fato é que a série está indo. E o ator ZéCarlos Machado dando um show. Gosto tb e especialmente,  da Mariana Lima, que faz a mulher, naquela sessão que vai um casal. E da Selma Egrei que faz a supervisora de Theo. Escolhas estilo Selton Mello. Muito bom.

 É isso, boa semana. Assista a série. E se inspire para buscar um/uma analista. Fará um bem enorme a você. Como diz o ator "é melhor conhecer do que não conhecer". Se vai ser uma "delícia", não há de modo algum essa promessa.  Se todos os analistas são tão enroscados como "Theo" também não é o caso. Ali pelo que entendi, querem mostrar um apanhado do que pode acontecer. Não o que certamente acontece, em termos de historias, e de relação entre terapeuta e cliente. Mas vale. E ajuda as pessoas a desmitificarem um trabalho tão importante.e em geral envolto por preconceitos, por pura falta de informação.

4 comentários:

  1. Oi, Camille!
    Vi um ou dois capítulos e achei super bem feitos, direção impecável do lindinho Selton Mello.
    Os atores comportam-se de maneira tão natural que parece mesmo uma sessão de análise.
    O difícil é eu ficar todos os dias ligada em alguma coisa na tv, não consigo mesmo. hehe
    beijos cariocas



    ResponderExcluir
  2. Querida, esses capitulos passam todo domingo ou todo sabado de uma vez. Se voce tiver vontade de assistir todos. Mas o bom mesmo é ver quando quiser.
    Bjso e saudades!

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti esta série em inglês, chama-se In Treatment, eu acho. Na versão americana, o policial morre também.
    Eu gostava desta série, mas acho que não fez muito sucesso, pois não passa mais.
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  4. Esse tipo de terapia acho que nao faz sucesso em muitos paises que nao sao tao praticantes da psicanalise. Os EUA mesmo sao adeptos da Cogntiva Comportamental, - daquelas que tem tecnica para curar fobias, parar de fumar. Cura so o sintoma.... Aqui nao sei se esta fazendo sucesso, passsa na GNT, nao sei se da muito ibope nao, mas eu gosto. Bjos querida!!!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.