21 setembro 2012

Para você, que daria tudo para ser mãe.


Existe frase mais sem sentido do que “ser mãe é padecer no paraíso”? Primeiro, ser mãe não é padecer. E depois, não tem nada de paraíso. É a função mais pé na Terra que eu conheço.

Para ser mãe de alguém não basta ter o filho. Tem muito filho, cuja mãe é ausente. Está ali ao lado, mas é como se não existisse. Desperdiçando a oportunidade de lamber a sua cria.
                          Angelina e Brad, peguei sua foto emprestada para mostrar uma família.

Cria é uma palavra que gosto muito. Por que mãe mesmo, é aquela que cria. Tem muito menos de biológico nessa relação, do que da importantíssima capacidade de formar laços, vínculos afetivos perenes.

Que, como se fosse um bordado, um tricô, uma trama delicada, vai-se fazendo todos os dias. Ou não fazendo. Ou fazendo de um jeito esquisito e sofredor.

Talvez por isso, exista uma espera para a criança chegar . O tempo traz sabedoria. E até hoje, para a chegada de um filho,  conheço três tipos de espera: na gravidez biológica natural, em que se espera 9 meses. As vezes menos.

Nas adoções, onde o critério rígido e bem feito, procura atender em primeiro lugar os interesses da criança que veio ou virá ao mundo e , portanto, busca-se a família mais adequada para recebê-la. E nesse processo, ainda é possível determinar algumas coisas como: sexo, cor , idade. Se vai ser recém-nascido ou se a mãe adotante ou o casal adotante pode acolher com amor um bebê de até dois anos, ou uma criança já grandinha. Quanto menor a exigência, menor será a espera. Não por que aquela mãe, ou aquele casal estejam aceitando “qualquer coisa”.Criança não é coisa.
                 Glória Maria, peguei sua foto emprestada para mostrar a maternidade.

Mas por que o nível de exigências demonstra claramente a maturidade ou não, das pessoas, para terem filhos e amá-los do jeito que são. E não rejeitados se não corresponderem totalmente as expectativas que, geralmente são frustradas, mesmo com o filho que vem da barriga .

O ideal é alguma coisa que não se alcança, portanto jamais um bebezinho-que quer tanto o seu amor- vai corresponder ao que você sonhou. Por isso que eu disse antes: ser mãe é uma grande e boa experiência. Não é padecer coisa nenhuma. E também não é paraíso. É uma função muito pé no chão. É a hora do vamos ver. De provar da sua competência emocional- se quiser ser mãe, ser pai. Se não quiser, vai provar em outro aspecto, no trabalho, onde for. Para que filhos? Por obrigação? 

Na Europa isso hoje é tão comum: casais que optam pelo sossego de viverem um para o outro e tudo bem. Aliás, muito bem. Se a relação for boa, bem construída, não precisa de um filho para tapar nenhum buraco- até por que buracos a gente tem desde que nasceu. Jamais serão tapados - e filhos não são feitos para isso.

Ah, e tem aquela outra espera: a do casal que decide por aquilo que chamam de “reprodução assistida”. Nome esquisito não é? Invasivo: parece que você está transando com seu marido e tem um pessoal assistindo. E sabe que não está muito longe disso não? Conheço algumas pessoas que tentaram. E desistiram. Não por que o processo seja muito doloroso de viver. Porque é. Mas por que amadureceram na luta. Tenho uma amiga que depois de muito desespero-não tem outro nome para o que ela passou- viu que não queria ser mãe, só ter um filho para agradar o marido, que foi casado antes e teve filhos naquela relação. Hoje, eles se agradam mutuamente , de outras maneiras. São um casal feliz e bem resolvido. Ela continua uma mega executiva. Alguém disse que ser a f.dona é pecado?

Outro casal que conheço, optou pela adoção. E já são três crianças, numa família feliz.

Depois de desistir da ”reprodução assistida”, eles  viajaram  muito, se amaram muito, compraram roupinhas de bebês em países diferentes, pensaram juntos. Fizeram muita ginástica, sexo e yoga-coisas que ainda fazem. Se prepararam para ser pais, de um jeito gostoso. E prepararam, com todo carinho, o ninho para receber seus filhotes. Deixando para trás: agulhadas, exames, hormônios, engordas, auto-estima láaaa embaixo por causa das frustrações. Acusações mútuas, como se houvesse culpados. Como se fosse importante saber quem está sem condições de gerar um filho biológico.  As vezes são os dois que não podem. Acontece também dos dois poderem, e a gestação não rolar. E DAÍ?
           Mônica Torres, peguei sua foto emprestada para mostrar a alegria da vida.

Vou contar um segredo.  Foi a vida que me ensinou: quando você quer ser mãe, uma criança entra em seu caminho. E você no caminho dela. É a lei da atração, do amor, da Fisica Quântica, do mistério da vida, do desejo. O seu filho ou filha, e você, já estão se aproximando. Ou quando menos esperar, descobre que está grávida. Ou vindo(a) de outra barriga, mas que emocionalmente você vai gestar do mesmo jeito. Seu filho ou sua filha, de alguma forma, está se encaminhando para você. Olha em volta.

E se você quer mesmo  ser mãe de verdade, (e não apenas ter uma boneca ou boneco, para ver  se é mais bonito ou capaz do que a boneca da sua coleguinha de escola) prepare-se. Nada melhor do que uma mãe suave, acolhedora, boa o bastante. E ao lado dela, um pai que saiba dar um suporte saudável a essa família, ou seja,  bom o bastante. Se o projeto é conjunto ou independente, a criança- esse futuro da humanidade que você vai acolher com seu abraço- merece o melhor.

Ela vai ter a cor do teu amor. As dificuldades - tem sempre alguma coisa, conte com isso –quem nunca acordou com o choro de uma dor de ouvido no meio da noite, levanta a mão?! Depois passa. Quem nunca procurou uma fono por que deu um atraso no não sei o que da aprendizagem? Fala sério. Quem nunca teve que levar ao dentista ou porque os dentes não caem, ou por que custam a nascer , ou por que ficaram tortos e vai rolar um aparelho? Um óculos, uma psicóloga, um cachorrinho...Ah, vocês sabem. E vocês futuros pais? Bem vindos ao clube pé no chão.
                      Angelina, peguei mais uma  foto emprestada para dizer:  esse luxo,
              até  as très  jolies  tem que aprender,  para ter: a felicidade possível,
                                            é  a que interessa. Agarre a tua.

Nunca mais sua vida será a mesma. Vai ser muito melhor. Alguém que vai amar vocês profundamente, mamãe e papai,   está a caminho. Mas por favor, não sejam tão exigentes com vocês mesmos. Nessa espera, que acontece, reconheçam o que ainda não sabem. Aceitem que há mais do que  uma única porta para a entrada da sua prole. E corram atrás. Aprendam a abrir os braços e a acolher incondicionalmente esse serzinho tão  poderoso e cheio de necessidades, que vai chegar, assim que você acionar a engrenagem:  a força do querer.

Você quer ser mãe? Você quer ser pai? Então preparem-se bem. E esperem.... Aaaah!!! Daqui já dá para ver uma nova família em construção. Parabéns para vocês.
Pauline Herbach 
(Em homenagem a todas as mulheres e as suas infinitas possibilidades  de serem mães. 
E boas  mães.)
                                              
                                              Amor  perfeito é nome de flor. No mais, a gente
                           tem que batalhar, construir, se esforçar, se abrir às possibilidades
                                             Todo mundo, não só eu, você  e Angelina...


12 comentários:

  1. Adorei sua postagem de hoje. Em poucas palavras conseguiu dizer tudo que vai no íntimo de quem tomou a decisão de ser MÃE/PAI. Suas palavras servem de incentivo para todas (os) que decidiram escolher esse caminho. Parabéns! Vera Saldanha

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Vera, por sua opiniao. Fico contente que alem do mais voce tenha gostado da postagem. Pena nao ter teu endereço para responder.
    Abraços,
    Paulinees/Camille

    ResponderExcluir
  3. Sensacional!!!Amei e vou compartilhar.Gostaria de saber se tem como comprar seu livro,fazendo depósito em uma conta sua.Seria o "Mulheres com prazo de validade!,que a Luma faz uma divina propaganda.Bjs e parabéns!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GRATA Zilda,
      Que bom que voce gostou do texto, fico feliz.
      Para comprar o livro voce tem tres opçõeson-line segurissimas: livraria CUltura online, Martins Fontes On-line e Asabeca.com.br que é a livraria on-line da editora, e tem a opção boleto caso voce nao queira pagar com cartao. O livro chega em dois dias. Nao posso aceitar receber em minha conta
      porque nao tenho nem livro s para te entregar, so a editora mesmo.
      Beijos!!!

      Excluir
  4. Camille, que linda sua postagem. Mãe é aquela que cria. Independente se é biológico ou adotado. É filho pra vida toda. Depende de amor, carinho, afeto e cuidados. É um pedaço de você pulsando dentro de outro coração. Um companheiro pela vida toda.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que penso tb Lulu. Acho tao bonito e tao natural o amor que minhas amigas tem pelos filhos delas.Nao conheço nenhum caso que tenha dado errado. Pelo contrario, historias lindas.
      Beijos Lulu!!

      Excluir
  5. Cam, que post sensivel, inteligente e cheio de ternnura.

    Adorei as frases que você usou informando as pessoas que você estava usando as fotos por um bom motivo.

    Parabéns!

    Um lindo restinho de semana pra você.

    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  6. Obrigada querida. Que bom que voce gostou, uma boa mae como voce sabe,sabe do que se trata.
    Um lindo restinho de semana para voce tb( aminhatem estudo de provas da Anna todos osdias:)
    Bjos e muito carinho!

    ResponderExcluir
  7. Tanto tempo que eu não aparecia aqui... saudade!

    Penso o mesmo com relação a adoção. Conheço uma mãe que já tem um filhote e já decidiu que quer ficar grávida só mais uma vez, no entanto quer ter 3 filhos. O terceiro (ou o segundo?) virá por meio de adoção. As pessoas que encaram a adoção com naturalidade no que diz respeito à formação de uma família muito têm a contribuir para que este processo seja visto com mais... naturalidade. O povo é quem faz as leis. O primeiro passo para amenizar o entrave do longo processo de adoção talvez seja mesmo a mudança de mentalidade. E a queda de alguns preconceitos bobos também. A mães "biológicas" tem de botar a boca no trombone para dizer que a relação com os filhos delas foi construída (construção, aliás, contínua), que ninguém nasce amando e esse papo de "sentido da vida" quando se é mão, é clichê. Todo mundo pode atribuir o sentido que quiser à própria vida, ora bolas. Com ou sem filhos, ora bolas! Hehehe

    Eu aqui com minhas experiências vivo apanhando. Todos os dias. Falta maturidade, que fica muito na teoria e na má vontade em passar para a prática. Falta suavidade, talvez a suavidade da maturidade. Mas ando trilhando bons caminhos. Cuido de duas crianças pequenas, vc sabe. E o "mamãe!" de um lado e de outro es-go-ta. Paciência, respirar fundo... Ah... Bom dia!

    Bjos,

    Michelle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, as mães biologicas podem sair por ai contando o que é a realidade. Mas da realidade tb tem o fato que amamos nossos filhos. E que amar incondicionamente como amamos, pode ser um filho da barriga ou nao. Talvezas futuras maes que ainda nao tenham entendido nada e por isso sofram tanto sejam aquelas que tentam a inseminação artificial como se o "mesmo sangue" ou o simples ato de parir um ovulo de um ou o espermatozoide de um terceiro sejam a garantia de um casamento unido ou de umafamilia feliz. Para cada coisa nessa vida, pede- se menos estresse possivel. Por isso penso que o melhor caminho é nao se emtupir de hormonios ,tentar frustrantemente diversas vezes, enfim. Ter um LIMITE razoavel para a quantidade de frustraçao que se vai passar por que existem outras maneiras mais bonitas de ter um filho- como adotar uma criança. Bjos Michelle. saudades de voce por aqui tb. Agora temos novas colegas de blog la na pagina do livro, vai dar uma olhada nos lindos comentarios. Depoimentos sinceros,profundos mesmo.

      Excluir
  8. De tudo que já li sobre o assunto, este foi sem sombra de duvidas o mais realista!
    Quando se tenta muito, por anos e mais um pouco ser mãe... passa ano e entra ano e você ali batendo contra a parede das impossibilidades do seu próprio corpo, acaba sobrando muito tempo pra pensar e observar. Pensar que independente da biologia você seria uma mãe incrível e observar que muitas que já o são com tanta facilidade, ainda não vivem a essência de realmente serem mães!
    Um dia realizo meu sonho, não importa como, e faço minhas suas felizes palavras: “quando você quer ser mãe, uma criança entra em seu caminho. E você no caminho dela. É a lei da atração, do amor, da Física Quântica, do mistério da vida, do desejo”.
    Não vou ser para colocar mais um serzinho lindo no mundo rsrs, para preencher um buraco entre duas pessoas ou para alimentar um ego de gênero, não!
    Serei mãe, acima de tudo, por um simples motivo que independe da minha própria infertilidade: indiscutivelmente nasci para ser mãe!

    ResponderExcluir
  9. Anna Pooh, fiquei muito feliz com seu comentário. Pela sinceridade, por compartilhar o que está sentindo. Por jogar limpo com você mesma e começar a se abrir para novas possibilidades.
    A gente passa muito tempo idealizando coisas, as vezes de forma rígida, sem perceber essa rigidez. Tenho um sonho e ele só pode se concretizar exatamente do jeito que sonhei. Nada nesse mundo funciona assim. Nem a maternidade. Gerar filhos pode ser uma impossibilidade para uns (casais ou não) , criar filhos pode ser uma impossibilidade para outras, por falta de recursos emocionais (independente dos recursos materiais)- tem mulher que tem tudo e vai ser uma mãe sofrivel, tendo gerado a criança e na própria barriga. Ter o filho biológico, como certificado de maternidade, estão ai as barrigas de aluguel para provar que isso não é tão vital, nem atávico assim, se fosse, elas não entregariam aqueles que foram gerados no seu ventre. Vital é amor de mãe, é vontade de ser mãe, é levar jeito para ser mãe, é curiosidade quanto ao que é ser mãe. É refletir no que é tudo isso como você está fazendo. Quer uma idéia? Vai visitar um abrigo,só para sentir o tamanho da carencia: são milhares de crianças sem um lar, desesperadas por um pouco de atenção, por tantinho que seja de amor. Por outro lado, vejo o sofrimento de tantas mulheres que não conseguem por uma razão ou por outra gerar um filho biologico. Não tem redundancia na frase, por que esperar uma criança para adotar, também é gerar. É gerar amor dentro de si, é gerar espaço dentro de casa e dentro do seu coraçao e de toda a sua familia para receber esse bebê ou criança ja grandinha. É uma gestação como as outras, que as vezes leva mais de 9 meses, e as vezes não. Dê esse presente de mãe para você: va visitar um abrigo, isso tb é abrir-se para a VIDA. Que está aí para ser vivida em suas infinitas possibilidades de amar e acolher e ser feliz assim. Que uma nova família surja como oportunidade aceita, na vida de tantas mulheres e homens que querem filhos e tantos filhos que querem mamães e papais. Inaugure a sua felicidade moça,comemorando o que você pode fazer por você. Ao invés de sofrer por aquilo que você.. passa ano e entra ano,,,,, exige do seu corpo. Provavelmente seu corpo está prontinho para receber um bebê, uma criança em seus braços, com um grande abraço, com o coração batendo de emoção.
    Um beijo grande para você,
    Pauline ( é meu nome)

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.