13 julho 2009

Na pele de um dalit

É, estou lendo essa besteira. Uma voltinha ali na Livraria Cultura e naõ resisti aos apelos da novela e a fascinante cultura hindu. O livro é de um jornalista, fraquissimo, nem precisava dizer que é jornalista que fica até feio. Mas ele ja havia escrito" Na Pele de um Chines" sei lá se era tão ruim e debochado. Pelo menos estou entendendo melhor das castas indianas. Minha filha de 8 anos pediu o CD, com as musicas indianas da nova das oito, e eu dei, ela dança tão lindinho. Comprei também Eva Luna de Isabel Allende em Espanhol, seguindo o conselho de minha mãe e tambem de minha amiga Jan, vou gostar mais no original, provavelmente.
No meio disso leio Fragmentos do Tempo de Sonia Sales, são crõnicas, que incluem aquela que publiciquei aqui, dos judeus e Dom Pedro II. Vale a pena, você se diverte e aprende um pouco da nossa cultura. ( Edições Galo Branco)
Beijos e boa semana( Ah estou conseguindo deixar comentarios como anonima, claro que coloco meu nome, mas já é alguma coisa)

3 comentários:

  1. Olá.
    Não se impressione com as castas indianas.
    Nós cá também temos as castas que não têm esse nome mas são mantidas com:
    -a concentração de renda
    - a mediocridade no ensino público
    - a desfeita com a questão da saúde
    - a falta de cursos a aprender ofícios
    Pensa que é apenas falta de competência?
    Não. É um jeito de manter os pobres e filhos de pobres no mesmo lugar onde estão.
    Na exclusão.
    Isso não é sistema de casta não?
    Mas a Índia tem muito mais a ensinar do que a novela apresenta.
    Tente ler Sidharta de Herman Hesse e você sentirá a Índia.
    Mas agora quero parabenizá-la pelo passeio na livraria. Isto é raro, quase raro.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Camille. Como vai? Sou a Cecília e trabalho na Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor. Que bom que você gosta de ler! Gostaria de te deixar uma dica de livro, acho que você vai gostar, já que gosta de culturas diferentes. "República Gastronômica da China", recém lançado pela Zahar. É o relato de uma jornalista de origem chinesa, mas nascida nos EUA. Ela resolve ir morar na China para buscar suas raízes e entender o país e sua população através da comida e dos sabores. Entra em cursos de culinária e sente a discriminação de ser uma chinesa-americana, mas busca nos pequenos restaurantes de Pequim e arredores os ensinamentos da culinária chinesa. No meio do relato, ela fala de personagens que conheceu, da revolução Cultural e de como os chineses são taxados pela comida que comem. Espero que goste da minha dica! Mais informações sobre o livro - http://www.zahar.com.br/catalogo_detalhe.asp?id=1260
    Um abraço, Cecília

    ResponderExcluir
  3. Camille querida, o que vale é ler e avaliar aquilo que serve prá você.
    Gosto de saber de culturas diferentes.
    Estou assistindo a novela, gosto de ver como vivem, embora saibamos que a novela sempre carrega em alguma coisa, e deixa passar outras.
    Mas dá para ter idéia e conhecer um pouquinho.
    Beijos meu bem.

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.