15 outubro 2006

Pintar ou fazer amor?

Estou vindo de onde? Do cinema, que novidade! Assisti ( Peintre ou faire l?amour) com Daniel Auteil, que é o Gerard Depardieu da vez: 9 entre 10 filmes franceses que tenho visto, incluindo o terrivelmente chato Caché, e o muito engraçado Closed são estrelados por ele, que por sinal é mesmo um excelente ator. Mas só dá ele? Estou cansando já.
Contar alguma coisa desse filme é contar quase toda a história. Assino um jornal de internet que tem um critico de cinema que não sabe ser crítico, e portanto, é literal- ele conta a história toda. E caso você tenha a paciência de ler as quatro páginas de texto em média, com todos os detalhes do filme, não tem mais a menor vontade de assistir, por que já sabe tudo que vai acontecer e pela ótica daquele estraga prazeres. Nesse momento me sinto como ele. Imatura para dar qualquer depoimento mais firme que adentre as entranhas daquele roteiro, cheio de entranhas por sinal. O cenário é uma bela casa nos pirineus. Os personagens protagonistas formam um casal: Auteil que acabou de se aposentar e sua mulher, a atriz Sabine Azema , que faz uma pintora. Eles são vizinhos de um outro casal, um prefeito cego- e o começo da história ensaia uma certa discussão sobre o que é a cegueira interior e a fisiológica mesmo. Velha discussão, mas sempre atual, embora realmente batidinha para meu gosto. E o flamejante do enredo começa nessa relação desses dois casais.
Para não contar a história toda, digo apenas que não sei falar sobre este tema. Se disser o que estou pensando posso achar de mim mesma que sou preconceituosa, que preciso fazer mais análise, ou até que , já tendo feito tantos anos de análise, conheço meus limites que podem não ser os mesmos que os seus. Como eu costumo dizer, a virgem da Lapa eu não sou. Mas ainda assim, tem coisas que não sei se experimentarei nessa vida. Veja você o que te parece. De qualquer maneira o filme mexeu comigo. Não tenho uma opinião formada sobre ele. O que é já uma grande vantagem, para uma pessoa criticada como ?opiniosa? como eu. Assista e me diga o que sentiu. Melhor assim.

Amigos ainda não aprendi como se responde a comentarios neste blogspot. Já vasculhei tudo por aqui e não consegui entender. Quem souber, me dá uma dica, por favor. Por exemplo, gostaria de responder a "poemusicas", que não sei por que aparece um sinal de deficiencia fisica ao postar comentarios, como perguntou. Nao sabia que tinha no meu blog, mas já vi no de outras pessoas. Beijos!

16 comentários:

  1. Ah, também vi... Não achei ruim o filme, mas não me tocou profundamente, não... Agora, vou te dizer o que me chamou a atenção... A cena da loira no banheiro (você vai entender...) Não sei se aconteceu na sessão em que você estava, mas na minha, foi flagrante. As pessoas não riram muito, mas nessa hora, os homens se tornaram histéricos (é, sei que é contraditório em termos), só eles riam e alto, de um jeito meio nervoso. As mulheres riram, mas normalmente, como em outras cenas dos filme. Acho que aquela cena mexeu mesmo com as fantasias masculinas. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Li seu comentário lá no TT. Eu também pensei no banho, mas aí ri e pensei: depois os franceses ficam bravos com o que falam à respeito da higiene que deixa a desejar ahahaha. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Camille,
    Tentei mandar este recado por e-mail mas o Yahoo devolveu.
    É isso mesmo que vc descreve: na peça protagonizada pela minha querida amiga, o público rolava de rir, adorando. Existe uma música, -acho que era o Gonzaguinha que cantava- onde há um verso que diz:
    -a platéia só deseja ser feliz!
    Pois é isso. Minha peça não fazia as pessoas gargalharem, embora houvessem momentos engraçados. Não atendia, na totalidade, este anseio de felicidade da platéia. Ela forçava um pouco as pessoas a pensarem, a sentirem e a se identificarem (ou não). Vc se identificou, e eu fico muito feliz com isso. Muitas outras pessoas se identificaram. Sou muito grato por isso também. Mas, infelizmente, não foi o suficiente para transforma-la num sucesso. Paciência, vou continuar tentando. Se tivéssemos a receita do sucesso só poríamos em cena estouros de bilheteria. A gente vai ficando velho, aprende com novos erros, mas também repisa erros antigos. É simples assim: a platéia só deseja ser feliz.
    Obrigado pelo carinho.
    Bjs,
    PP
    Em tempo: Daniel Auteil é um famosíssimo ator de teatro na França e realmente não tem parado de filmar ultimamente. Ainda não vi o Peintre..., mas pretendo fazer isso esta semana.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo22:10

    Camile, eu não consigo entender porque o post do cristalino você não consegue ver.Eu faço tudo no Power Point. Minha irmã pergunta qual o programa de proteção que você tem e se o anti-vírus é Firewall? Eu não entendo nada disso.
    Obrigada pelo carinho.
    Beijos, Edna

    ResponderExcluir
  5. Oi Camille.

    Cinema francês não faz muito o meu género: acho sempre meio parado, meio sem sal mas há gostos pra tudo. E sim, há alguns (poucos) filmes franceses que eu gostei de ver.
    Obrigada pelo teu comentário lá no blog.

    Beijos portugueses

    ResponderExcluir
  6. Adoro Depardieu, mas na França acho que as pessoas pegam no pé por causa do corpicho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Ainda não vi esta película, como dizem os portugueses. Mas aposto na qualidade técnica do Depadieu e,por assim ser, julgo tratar-se de um bom filme. Ao contrário, sem ofender de tua opinião os outros dois que você se referiu e os julguei, não extraordinários, mas, no mínimo interessantes. Acho que este autor, agora estrelando, também, como ator, é o que tem de melhor. Passou a vez de Spiel Berg, que agora se dedica mais ao roteiro infantil, é ele, sem dúvidas o mais intrigante, mais aguçador de nossos sentimentos e senso crítico.

    Falei,
    Um monte de dias bons.
    Naeno

    uma curiosidade: porque que ao lado dos caracteres de confirmação existe um simbolo que é identificado como espaço para pessoas deficientes físicas?

    ResponderExcluir
  8. É a única coisa de que sinto falta no inerior: um bom cinema. Compenso apelando para os dvds mesmo, que, embora não sejam a mesma coisa, dá pra sentir um gostinho.

    ResponderExcluir
  9. Anônimo22:14

    Que bom que você conseguiu ver e chegou até sentir o perfume das rosas. Estou procurando relaxar brincando de fotografa.Breve vou fazer um curso.
    Podemos dar as mãos, eu só entendo de fazer os posts, os outros programas eu não sei e quando preciso chamo minha irmã para me tirar do sufoco. Eu já estava me preparando para mandar os post por email.
    Aqui em casa quando alguém que saber de um filme eu logo digo vou ver no blog da Camille se é realmente bom. Acho o máximo o que você escreve, mas não tenho muita afinidade com cinema. Estou me preparando para ver o Circo de Soleil em 26 de novembro.
    Uma noite de sonhos e uma dia felicidade.
    Beijos, Edna

    ResponderExcluir
  10. Não vi esse filme,não posso fazer comentários.
    Sim,aqui também aparece o símbolo do deficiente e eu não sei porque, para responder faça como se fosse comentar,nesse sistema não existe outra forma.
    linda noite flor
    beijossssssssss

    ResponderExcluir
  11. Camille meu anjo, dos filmes que vc falou só assiti ao Closed, que por sinal amei, se este chegar aqui no cinema de arte irei assistir sim! Eu sou uma amante do cinema (no momento lisa e semi-desempregada) logo estou indo pouquíssimo...Olha li seu coment lá no Koukla e eu acho que fé está entre essas coisas que não se explica, vc simplesmente tem ou não. Um cheiro no coração, Jan.
    p.s.: não sei como responder comentários no blogspot, no haloscan, em lugar nehum...sou uma anta metida a ter blog :).

    ResponderExcluir
  12. É esse filme parece interessante, vou tentar assistir.

    ResponderExcluir
  13. Oi menina!

    Também não vi esse filme, não tenho como comentar. Parece bom pelo seu post.

    Também não tenho idéia de como responder, acho que tem que postar como se fosse um novo comment.

    beijos querida,

    ResponderExcluir
  14. Oi Cam! Ih menina...morando aqui nos "matos" nem sei o q é "cinema" rsrsrsrsrs
    Beijos e bom final de semana p vc

    ResponderExcluir
  15. Camille, no blogger não tem como responder ao comentário dentro do comentário (como eu faço no haloscan, que me permite abrir a página dos comentários e editá-los colocando a minha resposta). uma sugestão é vc. fazer um comentário respondendo o comentário da pessoa (é o que vejo normalmente por ai...)ou então, instale o haloscan.
    bjs!

    ResponderExcluir
  16. Mais uma dica de filme... vc parece que eh dona de cinema!!! bjs

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.