02 julho 2006

Canarinhos castrados ou araras que pensam que são contentes? Tanto faz.

Já dizia a música do nosso grande poeta do sertão, Luiz Gonzaga: "furaram os oios do assum ( será que é açum?) preto, pra ele assim, ái, cantar mior"... As vezes fico pensando nos casamentos, nas relações em geral e logicamente, no papel das mulheres nisso tudo. Parte que me toca né? Mas podia ser um casamento gay, ambos do mesmo sexo. Tudo bem, dá no mesmo o tema, não muda quase nada. Só a compreensão das partes que acho que deve ser bem melhor. Figuras do mesmo sexo sabem melhor com quem estão lidando não é? Ambos são de Marte ou de Venus, não temos relações alienígenas aí. Apesar de dizerem que cada ser humano é um universo particular e único e eu também acreditar nisso, independente da sexualidade. E aí o assunto vai dar no mesmo, mesmo.
Ontem vi um filme de suspense na televisão, daquelas séries policiais enlatadas que hoje tentam ser um pouco menos burras para ganhar um audienciazinha mais qualificada. Então, o cara tentava desvendar crimes onde eram dois os assassinos, supostamente um casal, gay ou não, onde um era o submisso e o outro, não lembro o termo, o impositor, vamos dizer assim. E o detetive falava como se isso fosse uma constante nas relações. Pode ser , pode ser , pode ser. Li agora no blog de Lou Salomé, sobre Simone de Beauvoir e Sartre. Talvez ela tenha comido na mão dele sim e bancado a sabichona num época muito dificil para as mulheres, mesmo as francesas, aparentemente tão a frente sempre. Vai entender as tramas do coração e da neurose de cada um.
Aí pulo no tempo e penso numa Victoria Beckham da vida, uma chamada "maria chuteira", mas ex- Spice Girl. Parece que a profissão da moça hoje é chamar a atenção do maridão bom de bola e de puteiro ( são chegados lá na Espanha). E tanta gente admira a posição dessa moça. Estranho. Ela me parece uma arara, tão magrinha, toda enfeitada sempre, mas presa no seu poleiro por uma pulserinha de ouro. Um pássaro que não voa , nem canta. Será que isso é amor? Será que ela é feliz? Não tenho a mínima idéia. Mas é um personagem que faz parte do mundo atual, e que está no imaginario de muitas pessoas, a mídia não deixa escapar. Por isso tb ela me vem a cabeça .
Ao mesmo tempo, penso naqueles meninos que castravam ao adolescer para que continuassem cantando fininho, par alguém admirar. Quem? Que gosto insano. E penso em todas as vezes que furamos nossos próprios olhos para não enxergar a realidade que nos rodeia e assim cantar melhor para sermos admiradas, queridas, amadas. E castradas. Você gostaria de ser a Victoria Beckham? Eu não. Prefiro ser uma Spice Girl. Mesmo que isso me custe abrir mão de muita coisa. Ou de alguma coisa. Quem precisa de uma pulserinha de ouro numa prisão? Bons sonhos para você. Ah, o casal do filme de suspense era gay, dois homens.

3 comentários:

  1. Salve Camélia de Pedra, O retorno.
    Relação não existe o que existe é ralação e o resto é chateação.
    O blog tá difícil de ler: letras pequenas e linhas muito juntas. Dá uma alargada prá facilitar a vida do vô.
    Hexa beijos.
    RM

    ResponderExcluir
  2. Olá dona Camélia de Pedra! ;)

    Eu também prefiro ser uma spice girl... presa e infeliz, jamais!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Anônimo18:02

    Obrigado por Blog intiresny

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.