11 março 2014

Vida Virtual. Delírio ou Realidade? texto de: (26-03-2012)



Faz tempo que penso nisso- na pergunta do título. O mundo virtual apareceu e entrou rápido em nossas vidas, de um modo tão avassalador, que é sim: AI- DI. Antes e depois da Internet.


Vibro por todas as possibilidades de informação, interação, tempo real, que esse mundo oferece. Lado a lado, presto a atenção ao que tudo isso provocou de mudanças nas nossas vidas.

Se observarmos a "Semana de 22" por exemplo, a Semana de Arte Moderna, vamos ver coisas como: a influência dos meios de transporte no trabalho dos artistas plásticos. E me parece fascinante a velocidade exposta nas telas, de diferentes formas. Assim como, anos antes, o pontilhado dos impressionistas mostrava que há muitos jeitos de perceber a vida, uma delas, é através da sua luminosidade. Bonito não é ? O que quero dizer? Há certas invenções que são mais do que a coisa em si. Tipo: a roda, o carro, o transporte. Elas vão mudar tudo, do ponto de vista ao comportamento, até ao que se espera da existência.


Quando toco duas vezes no botão do elevador, ou buzino em um sinal( farol) de trânsito, percebo que a velocidade a qual me acostumei e sem nem me dar conta, exijo, é a do meu computador. Nada de ficar esperando mais do que alguns segundos para qualquer download. É tudo para já.

Além da velocidade, um outro fator mudou bastante: passado, presente e futuro se embolam numa linha do tempo que transcende a nova página do FB. Pessoas que julgávamos "perdidas", pela capacidade de "busca" dos diversos googles, reaparecem e voltam a ocupar um lugar em algum canto de nossas vidas. Mesmo que de certa forma até incomodem, elas retornam e aquirem alguma consistência no nosso quadrado, até serem recalcadas novamente, quem sabe.

E o que dizer do que era público e do que era privado? Joio e trigo andam se fundindo.

Outro dia estava eu acompanhando uma reunião- linda- de consumidores psiquiátricos. Pacientes muitas vezes regredidos ou delirantes, enfim, com uma série de necessidades de atenção, que os remetem a um programa de assistência. O interessante a salientar para nós aqui, é que eles falam de si para um grande número de pessoas, compartilham suas dores, seus acontecimentos cotidianos, seus detalhes que poderiam estar guardados até no jarro mais chamativo da sala, mas não necessariamente na boca do povo.

Qual a diferença entre essa situação e a troca de fotografias, detalhes do final de semana, statement de relacionamentos, expostos numa rede social? Se assemelham em carência, narcisismo, insegurança, necessidade de asseguramento da própria existência, e como. O que é a realidade afinal? Cada vez cabem mais coisas nela. E quanto mais se põe, mais se duvida.

Ontem assisti ao filme "Café" com a Jennifer Love Hewitt, ótima atriz, mas bem chacoalhada em diversas séries para a televisão. Tudo bem, quando pode, ela mostra seu talento. Como nesse filme independente, em que sua personagem trabalha em um bar- que é todo o cenário do enredo- onde observa e as vezes se envolve- com os diversos fregueses e frequentadores, que ali também expõem sem talvez se darem conta, a riqueza e a miséria de suas vidas. Dia-a -dia. A pitada de graça, para quem assiste, é quanto a pergunta: o que é real e o que é imaginário, virtual ou delírio- a resposta fica por conta de um cliente claramente "doido delirante": vê imagens diversas se formarem e se diluirem no seu café com leite. E como passa todo o tempo em frente a um computador, é ali mesmo em sua tela que, uma menina aparece e afirma com convicção que ele não existe, é um "avatar" criado por ela.


E por que não? Quem disse que somos- A -realidade concreta do mundo? E que mundo é esse? Será que a humanidade já foi exterminada faz tempo e somos apenas memória, caminhando na tela de algum ser de outro planeta? Seja como for, vivamos o que tivermos para viver. De preferência, de um jeito que nos agrade. Antes que algum aventureiro , por falta nossa, de graça ou de função, clique: delete-lixeira-delete, ganhemos importância e respeito na página da nossa vida.
Boa semana!

(Imagem: Museu de História Natural- Paris- foto minha)

12 comentários:

  1. eu, em geral, trago para a minha vida real os meus contatos virtuais. nós até íamos fazer isso, mas algo nos desvirtuou. ainda vamos nos encontrar. o q gosto da vida virtual é poder ter contato com pessoas de outras cidades, países. eu encontrei uma vez um conhecido q tem um problema sério de saúde. a internet permitia q ele se igualasse aos outros. pessoas com problemas de locomoção tb. adorei o texto. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Oi Pedrita,
    Voce foi ver tantas coisas interessantes. Maria Eudoxia, acho que quem me falou dela foi meu ex-analista. Ele tb toca piano profissionalmente. Uma historia bem bacana a dele. Tambem gosto do que a vida virtual tem de melhor- as pessoas ao vivo. Para essas pessoas que nao teriam outra forma de counicaçao é maravilhoso. COmplicado é quem pode viver experiencias ao ar livre e se limita cada vez mais a internet. o que definitivamnte nao é o teu caso nem o meu. Nao consegui comentar no teu blog. Voce retirou os comentarios?
    Bjos e vamos combinar.
    Cam

    ResponderExcluir
  3. Sissym tb nao sei comentar no teu blog nao; Linda poesia e fotos de Sao Conrado. Realmente, tudo brilha!
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Esta acontecendo alguma coisa que nao sei identificar: alguns blogs estao com um template super clean, mas nao tenho certeza se sao assim mesmo ou eu estou clicando em algum lugar estranho. Nao consigo nem entender direito, que dira achar o lugar para comentar. Bjos e boa noite!

    ResponderExcluir
  5. Fiquei com muita vontade de ver este filme, Café. Coloca a receita da quiche integral, please, e com foto também. Bjks e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. oi camille, ontem realmente o blogspot e o blogger estava sinistro, q bom q agora conseguiu comentar. eu acho q qq um se esconde no q dá, e alguns é pela internet, não acredito nesse exagero e clichê. falam q trocam a tv pela internet, mas os trending topics do twitter só repercurem o q passa na televisão. acho q há muita viagem e preconceito nessas avaliações da rede.

    ResponderExcluir
  7. O que o mundo virtual traz de aprisionante..nos assusta..e o que traz de liberdade..nos fascina...saibamos mesclar entao.abraços carinhosos a ti querida amiga virtual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata Lia. Aproveitemos o melhor dos mundos. Bjos e bom final de semana!
      Cam

      Excluir
  8. O mundo virtual é um espetáculo quando sabemos usá-lo. Temos que nos policiar muitas vezes pra não nos expormos tanto e ficarmos vulneráveis pra alguns maus caráteres por aí. A vida virtual é intensa e poderosa e isso fascina. Podemos ser nós mesmos ou então mostrar só nosso melhor...

    Beijos, Camille!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza querida. É preciso estarmos muito atentos. Pessoas criam "personas" na vida "real"e na internet. Podemos comprar gato por lebre. Mas tb podemos conhecer o mundo inteiro, pessoas fascinantes e de verdade. É muito bom. Prudencia é importante em todos os setores da vida, inclusive na internet
      Bjosss!!!

      Excluir
  9. Querida Camille,
    A meu ver, o bom senso deve ser o fiel dessa balança que suporta os dois pesos: o virtual e o real. O resto é absolutamente irrelevante. Bjs Marli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Marli,
      O bom senso é bom em todos os setores da vida.
      Bjos e grata pelo comentário.

      Excluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.