05 novembro 2013

Qual é o seu destino?

  Há quase 20 anos atrás fiz o Caminho de Santiago de Compostela. Isso significou caminhar de Roncesvalles até a porta da Catedral de Santiago, uns 850 km , por ai, em 29 dias. Boa coisa, recomendo para todos  que queiram chegar em algum lugar.

 Lá conheci meu amigo até hoje, Jacques Remaud, uma pessoa de bem, do bem, como quiserem. E durante boa parte desse trajeto ele me acompanhou, passinho a passinho, quando seria capaz de correr o Caminho, em 17 dias mais ou menos. Mas, assim como eu, não estava ali pelo exercício físico, mas pelo trabalho mental, emocional, de seguir uma meta e abrir-se para o que aparecesse de bom.

 Para o Jacques dizia ele, eu era uma espécie de tradutora de vários idiomas, capaz de falar com diversas pessoas,  inclusive Francesas, e fazer uma aproximação, que ele mesmo teria uma grande timidez em tentar, mas foi perdendo-a no aprendizado do trajeto.





                                            peregrino no Caminho de Santiago, é bem assim.
   Para mim, o Jacques era a segurança que eu precisava para passar por cachorros. E nem comece a pensar que é metáfora ou piada. Tinha um medo absurdo dos cachorros daquelas trilhas. Passávamos por vilarejos, cuja única fortaleza era um cachorrão com cara de mau, e eu não sabia distinguir o que estava só latindo do que ia avançar e morder também. Cão que ladra, claro que morde. E isso também fui aprendendo por ali. Não levei mordidas, ainda bem, Jacques me ajudou a quebrar essa ansiedade.

   No mais, nossas trocas de habilidades não se limitaram a nós mesmos. Fizemos muitos amigos por lá. Naquela época o Caminho de Santiago já tinha um tanto de gente. Mas ainda não estava tão banalizado como hoje, quando para uma multidão de curiosos,   deixou de ser a Rota Jacobeica, o caminho real do Tarô ROTA- TARO. O Caminho da Via Láctea ( o trajeto faz esse desenho, da nossa galáxia) ,  as estradas dos cavaleiros do Templo-os templários, os primeiros banqueiros do mundo, pois além de mistérios incríveis,  carregavam pra lá e pra cá, coisas que vieram a ser as nossas "letras de câmbio".
Mas continuou sendo um caminho de oração, como me veio agora a cabeça, ORAR,  para aqueles que tem como finalidade,  falar consigo, falar com Deus. Escutar seus próprios pensamentos.
                                       
                                                  As conchas indicam o caminho certo da trilha historica

  Esses que ainda vão para essa dialogação  consigo, são como aqueles que iam quando eu fui e antes, os primeiros peregrinos. Gente que olhava aquela caminhada como sagrada, religiosa- no sentido de religar-se com os sentido do mundo. Assim. mais do que uma troca de habilidades, necessária a sobrevivência no Caminho: ah eu sei cortar uma bolha de pé, eu cozinho para todo mundo hoje a noite,  e eu  falo com o holandês,  que só arranha no Inglês e está ali num canto sozinho. Eu sei tocar violão. Você é carioca? Eu toco Garota de Ipanema. E tantas e tantas e tantas emoções. Barulhentas ou silenciosas, estávamos lá  doando, trocando, proporcionando e nos proporcionando, ao caminhar , nosso caminho, com chegada a um destino.,
 
  Aliás, acostumado a participar e mesmo a organizar, grupos de caminhada, de 50 KM ou mais, ao dia, Jacques estava no Caminho de Santiago, dizia ele, por que ali havia uma chegada. E não um andar, feito a gente faz na praia: vai do Leblon ao Arpoador e volta, como se fosse só virar ao contrário e dar-se por contente: está feito o pequeno exercício. Ter onde chegar e saber onde está indo, mesmo que o caminho traga surpresas,  segura a cabeça do homem. Pessoas que tem planos, metas, caminham com mais vontade. Verdade.
 
  Veja os idosos bem idosos, que o mal estar dessa civilização vai encostando no muro, veja os "malucos" confinados,  e mesmo as pessoas com depressão. Deixam de sonhar, idealizar, projetar para a frente, e se largam numa incrível imobilidade. Quase a morte.

   Motivar é preciso.  E para haver motivação é necessário  um cultivo de ideias constante. Não queremos sempre chegar a Catedral de Santiago. As metas mudam, mudam-se os caminhos, mas precisamos permanecer desejantes.
                                                              A catedral: quase chegando
 
  Se você nesse momento não sabe o que quer da vida, vá ajudar um idoso, vá conversar com ele e ver o que sonhou a vida inteira, o que pode realizar, o que gostaria de fazer hoje, não fossem as dificuldades de diversas naturezas  que vão se impondo.  Aprenda a querer mais, com mais vontade.
 
  Uma vez li num livro "Virando a Própria Mesa", aliás nunca mais falaram nesse talento que ficou tão famoso na época em que levantou, muito jovem, a empresa de seu pai. Ricardo Semler? Desculpe se não for esse seu nome. Também já esqueci.. Ele contava que conhecia um idoso, que já estava la pelos 90, e seu grande segredo de longevidade  era sempre ter metas para os próximos 10 anos: vou aprender um idioma novo, tocar um instrumento que desconheço, viajar para o Tibet ou outro lugar interessante, conhecer o mundo, ali na esquina ou la longe. Essa curiosidade, esse querer, é a nossa gasolina.
 
  Só sei que esse caminhar de 29 dias, ainda está firme na minha lembrança. Quando a coisa aperta, ainda posso recorrer a essa experiência , para lembrar que o caminho se faz ao caminhar sim, mas que chegar a meta é muito importante, bom, comemorável. Sabe aqueles corredores que chegam ao pódium e se banham de champanhe? Pois é. Um pódium que é só nosso. Por que fomos e chegamos.
 
  Sugiro então a pergunta todo dia de manhã: para onde mesmo que eu vou? Onde quero chegar? Estou feliz com essa trilha que tomei? É a mais confortável para mim, ou prefiro pedras no caminho? Limpa a área e vai em frente. Quem aprende a persistir em um caminho, leva esse aprendizado para outras áreas.
                                                                maratona
 
  Aprende que cada dia é um dia: presta a atenção no tempo que passa. E na proximidade da meta.
   Tem gente que participa de maratonas para "meditar". Uma disciplina para a vida,  essa meditação. Pode ser também. O importante é ter a meta a atingir. Senão a vida se torna uma errância. Não sei por que acordei, e vou dormir por que tenho que acordar amanha para não sei o que... Quando a vida  pode ser: ânimo, coragem, fé, a cada passo. Você, eu meus filhos, eles ali, vamos chegar la. Todos os dias, tudo de novo. Mas sempre um pouquinho mais sábios.

Imagens emprestadas no Google, de peregrinos do Caminho de Santiago: Ultreya a todos, na vida! ( grata pelas imagens, se quiser colocar creditos aqui é só avisar)

Foto de maratona ( não entendi a fonte, caso a foto seja sua, favor avisar, ou retiro ou coloco os creditos, como preferir)

8 comentários:

  1. Oi Cam!

    PERFEITO! Exatamente o que estava querendo ler / ouvir. Obrigada querida. Espero e desejo que seu caminho seja cheio de luz, muita luz..

    beijo grande com saudade,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom!!! Seu blog sempre foi um "oraculo" para mim. Lembra que te falava isso? Que bom que você encontrou aqui o que precisava.
      Bjos querida, volte sempre!

      Excluir
  2. Muito bom seu post Camille. Menina, você me fez lembrar do livro do Ricardo Semler! Uau, foi um sucesso que subiu e caiu como um meteoro, em pedaços... e não se fala mais nisso! Rsrsrs Mas o que você falou tem tudo a ver com seu post, um velhinho beirando os 90, e cheio de vontade de viver, cheio de vou fazer isso e aquilo. Puro combustível. Precisamos aprender essas lições com urgência pois o mundo nos manda uns tsunamis e, se a gente não tiver um propósito definido e não fincar o pé, somos arremessados para o nada. Bejos amiga, sorry o longo comment.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Marly, esse executivo, sumiu. Será que fez sucesso nos seus empreendimentos? A midia é assim ne? Um dia endeusa no outro desconhece. Melhor cada um saber de si e conhecer o proprio valor, é a melhor maneira de não se consumir.
      Precisamos aprender um bocado de coisas, inclusive por uma questão de sobrevivencia mesmo. Que bom que voce gostou e comentou. Volte sempre. Bjos e muito carinho por suas palavras, Cam

      Excluir
  3. Beleza de post, Camille!
    Sua lembrança para a retomada do foco enquanto o tempo passa é importante e vivo dizendo ao meu filho sobre isto, mas ele está enxergando aos poucos, como bom aquariano acha que tudo vai dar certo no final.
    Você fez esta caminhada que é um dos meus sonhos, já me imaginei, inclusive, caminhando até chegar à Catedral ao final, imaginei também as pessoas que fui encontrando pelo caminho, todas interessantes e diversificadas. Deve ser fantástica esta caminhada!
    Adorei seu post!
    um beijinho carioca


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Beth, que bom que voce gostou. O tempo que passa é importante computar mesmo, por que implacavelmente passamos por ele. A gente passa e o tempo fica, eterno onde tem que ficar. E nos vamos embora para algum lugar, lugar nenhum, sei la. É de aproveitar agora. E as vezes a gente escreve para a gente mesma. As vezes a gente fala ate pra paciente aquilo que tb precisa ouvir. É meio geral ne? Do humano. Se ja imaginou tudo isso, vai Beth. Dizem que depois dos 50 a pessoa tem mais capacidade para longas distancias. Esse amigo Jacques pode te dar uma aula sobre esse assunto. Quero ver as fotos da peregrina. Bom, é a terceira vez que respondo seu comentario, parece aquele filme "O Dia da Marmota" sabe? Que o cara vive todo dia o mesmo dia ate viver o dia perfeito. Ta assim,, meu comentario pra voce, some. Espero que esse fique. senao eu respondo em outro lugar...Ufa! Bjossss

      Excluir
  4. Que lindo, Camille, fiquei pensando aqui... a gente sempre tem dúvidas se escolheu o melhor caminho. Essas dúvidas são terríveis!
    Imagino o que seria andar mais 800 km, com um cajado a ajudar a caminhada, encontrar vilarejos, gente estranha e o mundo a sua frente, te chamando pra vida.
    É um exercício de paciência e persistência.
    Qdo vc citou que correria o caminho por 17 dias, mas que o rapaz e amigo te ajudou a se conter, acho que é isso mesmo. Fazemos as coisas tão corridamente, com tanta pressa, que não observamos os pequenos detalhes, principalmente de nossa mente.
    A única coisa ilimitada que temos é o nosso pensar. Podemos ir onde queremos, sem que ninguém fique sabendo. Agora, percorrer por esse pensamento, aí é outra história mesmo.
    E o tempo passa tão rápido que um dia acordamos e nos vemos incapazes de realizar os sonhos que sonhávamos qdo éramos jovens e imortais.
    E agora, qual o nosso sonho?
    Sábio o homem de 90 que sonha daqui a 10 anos...
    Vou fazer o mesmo!
    Obrigada, querida, um lindo texto que mexeu muito comigo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Querida Clara,
    O pensar é ilimitado mas as vezes fica terrivelmente aprisionado a um ciclo vicioso.Deixar o pensamento fluir livremente é o que se quer, inclusive no Caminho de Santiago. Agora voce esta achando que sou uma atleta? Hehehehe.O moço que foi comigo é qe podia correr o caminho em 17 dias, mas ele é que preferiu ir devagar. Eu tinh 29 dias e foi a conta, por que depois de uns 10 dias a pessoa ja vira um atleta, fica com um corpo e uma disposição incriveis, ainda mais por que o cerebro fica chieo de endorfina, entao damos ate ataques de risos. É uma grande experiencia que acredito que se voce for, vai gostar muito. Que tal? Quando ao idoso, a estratégia é sensacional.Tambem gosto de planos para 10 anos. Um super beijos e grandes caminhadas para voce.Obrigada pelo lindo comentário.
    Cam

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.