18 outubro 2012

Carminha: divã, cadeia ou Caribe?


   Avenida Brasil  chegando ao final e os meios  de comunicação tirando  as  últimas casquinhas.  Outro dia uma  reportagem sobre "as avenidas Brasil do Brasil". Só  iguais no nome, mesmo assim apostaram  na audiência da matéria.   Av  Brasil  Rio e SP : aqui é uma avenida como  tantas , que liga bairros abastados, de um ponto ao outro. No Rio, Av  Brasil é realmente um campo fértil  para novelas: quem  chega de carro de outras  cidades, passa por ela. Ali convivem  fábricas, grandes empresas, foragidos,  favelas,  sem teto.  O que há de mais complexo,  triste, sem recursos  e as vezes,  sem alma.  Uma periferia, no sentido daquilo que não se inclui no coração cor de rosa  da cidade.

   É claro  que a produção de "Carminhas",  independe de moradia ou estratificação social.  Do lixão também sairam Jorginho e Nina.  O ambiente como- lugar-, por mais desprovido de recursos materiais  que seja, não produz gente de  um  jeito ou de outro. São as relaçoes disfuncionais--é esse ambiente- que faz  de uma criança um adulto estilhaçado. Mas  certamente que, a miséria, pode des-abrigar   também quem não tem nenhum horizonte  emocional. . E aí é  muito triste.

  
Agora,  no fim da novela, começa a se delinear uma desculpa, um motivo para Carminha ser o que é: foi abusada pelo pai. Presenciou a mãe morrer pelas mãos dele. E ao invés de ajuda,  para construir uma identidade minimamente saudável,  foi largada no "lixão", como lixo. Sem ninguém  por ela.  Aí realmente fica dificil  uma criança se criar.
  
  Poderia ter se re-construido  ao casar com o tão acolhedor Tufão?  Aparentemente, não mais. Se aproximou dele para dar um "golpe" e mesmo que fosse amada,  de nada adiantaria.  Já estava "impermeável" .   Tufão por sua vez, gostava do personagem que a mulher representava,  não da Carminha.  Quem a amava,  amor de infância,  era o  Max.  Sem força o  suficiente para tirar os dois  daquela lama  emocional. . O que faltava ali,  humanidade?  Não. Por que o ser humano também contém seu lado "carminha". No que diz respeito ao mau caratismo,  ao querer " se dar bem" e a falta de continência.  Quando precisa, mostra suas garras, ninguém há de duvidar. "É humano". ´Se diz ao ver uma barbaridade acontecer. Mas para tudo tem limite. 


      Ainda bem.   Até o Max correu quando viu que sua amada era capaz de afundar o barco, literalmente. Novela boa.  Olhar duro para a vida que acontece, quem sabe,  nem tão longe assim dos nossos olhos.  Já  li nos jornais, e olha que eu nem assistia até um mes atrás,  que Carminha terá um "final surpreendente".

   Não sei o que mais possa surpreender. Mas novela é novela,  e só brinca de realidade. Pode ser que ela  se  "cure" e  fique "boazinha"?  Seria muito bola fora.  Depois de  tanto show,  com certeza o autor será mais criativo e coerente . Imagino que vá para o Caribe como o Max  queria, com dólares no sutiã e na calcinha .  Num final  tipo"Silêncio dos Inocentes", misturado   com  certos personagens da política  brasileira.  

Quem sabe cria  um culto popular?  Vou esperar e ver.   E você, tem alguma "salvação" para Carminha? 

 De qualquer maneira  Adriana Esteves,  finalmente teve a  chance  de mostrar todo o seu imenso talento, com  essa  personagem  cheia  de profundas feridas e poucas cicatrizes.  Nunca tinha visto nada tão forte na televisão brasileira.  Parabéns a essa atriz maravilhosa. 

7 comentários:

  1. Camille,

    Sempre admirei a Adriana, não me surpreendi com seu talento, era uma questão de escolha certa.

    Este negocio de ser pobre para está mais proximo do pior a acontecer, eu penso que nas familias mais afortunadas que o podre fede diariamente e ninguem sabe.

    Eu vi uma criança ter sua vida psíquica estraçalhada pela loucura de um grupo de adultos loucos e só Deus para saber como será o futuro dela...

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Tambem nao vejo relaçao entre pobre e problema mental não. O ambiente que conta é a capacidade de amar que cada nucleo familiar tem ou nao para dar a uma criança. E o da "Carminha" nao sobrou nada nao é? Ja da mesma miseria- que poderia ser umasituaçao de penuria mental tb( a miseria é desestruturantes-falta do que comer,do que vestir,falta de segurança, falta de aconchego- mas mesmo assim, a novela mesmo mostra e bem, como sairam pessoas bacanas daquele "lixao". ) E como as desigualdades sociais estao ai na nossa cara,so fecha os olhos quem nao tiver olhos....
    Familias abastadas as vezes guardam o que ha de mais perverso.Nao tenho duvida tb nao.Ser humano é isso aí,essa coisa meio torta,meio podre,e as vezes meio luz do caminho. Tem de tudo um pouco,Beijos querida e otimo final de semana! Cam

    ResponderExcluir
  3. Oi Cam!

    Algumas correntes afirmam que "o ambiente" é tudo. Eu ainda prefiro acreditar em "índole" (boa ou má) ... santa ilusão !

    Gostei do post "pré-final", gostaria de saber sua opinão agora que já acabou.

    Saudade de você, beijos querida.

    ResponderExcluir
  4. O "ambiente" é quase tudo sim. Mas ali o ambiente nao era o lixao em si, mas aquela familia que nao era familia, um monte de gente falcatruenta e o cara moletador de criança.As pessoas pensam que o "ambiente" é a Vieira Souto, o Jardim EUropa ou o Lixao. Nao é isso. O ambiente, é lar saudavel,acolhedor, onde a criança seja validada e nao violentada das mais diversas formas como foi a personagem Carminha. Percebe que o Max nao era tao ruim quanto ela?Ele teve um pouco mais de carinho.Apesar de pai bebado e mais suposta assassina. Ambiente completamente disfuncional. E a miseria- como um lixao- acolhe quem nao tem mais para onde ir. Portanto pode ser terreno fertil para abrigar muita gente com problemas graves ne?
    E o final foi de alguma forma surpreendente sim, Carminha arrumou uma "mae" e por essa maternagem da senhora la, pode se transformar um pouco que seja, tanto na desistencia da vida de mentira, quanto no afeto que recebeu dessa mãe, (a mae doMax), para que possa a partir dai aprender a ser mae tb. Ter uma afetividade sem medo.Esse autor nao é burro nao.E deve ter tido uma boa assessoria. O fato é que chorei de soluçar vendo aquelas cenas todas. Foi bonito. Pode nao ter sido a realidade, mas foi bonito e passou perto. Beijos querida e que ambiente que criamospara nosssos filhos seja o melhor que pudermos dar, e demos.

    ResponderExcluir
  5. Cam, eu não vi essa novela. Faz tempos que não assito novela. Acho tudo uma eterna repetição, mas parece que essa novela foi um sucesso. Muita gente comentou e comenta até hoje. Bjks e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Essa foi boa. Voce viu Vale Tudo? Nessa valia muito mais que tudo, coisas inimaginaveis. Aquela vilã, Maria de Fatima, estava no jardim de infancia. Com a diferença que para Maria de Fatima nao teve redençao. Para essa de certa forma teve um novo caminho a seguir. Bem interessante a evoluçao da moral e dos costumes numa dada cultura... Bjaoe boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Eu vi alguns capítulos da trama e achei a Carminha humana com seus erros e acertos. Acho que ela sempre agiu no impulso, como muitos de nós e ao fazê-los os erros se acumulam. Concordo com você que o Tufão nunca gostou da Carminha de verdade. Mas será que ela gostava de si mesma? Será que quando ela se olhava no espelho, gostava do que via? São tantas as possibilidades...
    bacio

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.