13 dezembro 2011

"Beleza é aquilo que te faz feliz "(parte II).


As vezes a gente escreve uma coisa no blog e se esquece que outras pessoas podem ler e fazer uma interpretação bastante errônea do que estamos dizendo. Quando escrevi o texto de 3/11/2011, "Beleza é Aquilo que te faz feliz", sobre um Amigo que casou pela terceira vez, e com convicção do que estava fazendo, eu coloquei apenas um retrato, um flash curto de uma situação. Mas não contei todo o back ground dessa pessoa para dizer o quanto ela se habilitou a essa felicidade.

Eu dizia
o quanto esse Amigo demonstrava maturidade em suas escolhas. E isso tem uma explicação: meu Amigo num determinado momento foi até bem radical - abandonou a vida na cidade e passou muitos anos em um sítio no meio da Mata Atlantica, sem luz elétrica e sem telefone, sozinho. Sozinho da silva. Sem nem pensar em ter uma namorada, ficante ou o que quer que fosse no gênero. Depois disso, ainda sozinho, começou uma atividade ligada a esse modus vivendi. Não, não foi ser surfista para ganhar dinheiro. Surfista e dos bons ele era desde garotinho. O Amigo tem um negócio muito próspero ligado ao lazer, é uma pessoa realmente rica também em posses. Justamente por que além de talentoso e preparado é perseverante e aprendeu a ser feliz sozinho. A se bastar.

Foi o tempo de reclusão total consigo mesmo, provavelmente, o equivalente a uma análise bem feita, que fez dele uma pessoa serena, firme e capaz de ir atrás do que quer, sabendo o que quer. Virar gente grande. Consciente de si, como diria Heidegger. Coisa fundamental para se viver junto com alguém, como um casal, e dar certo.


Quando a gente não se conhece o bastante, costuma ver no parceiro qualidades imaginárias, da mesma forma que ao olhar no espelho de nossa alma também não temos uma visão nítida de nós mesmos. E ai, a tendência de um ego fragilizado é copiar as outras pessoas, seguir um modelo, uma fórmula, como se ela fosse levar a um mesmo resultado. Isso não é nem "modelar" coisa que um dia desses propus com a "PNL". Isso é copiar. E a cópia tem menos valor que o original. Não se eterniza, por que não é genuína.

Então o que sugiro a quem quer se conhecer, que se trabalhe de verdade, o mais possível, profundamente. Para quando emergir do buraco em que se colocou, encontre de fato beira.

Empolgação não é entusiasmo. É um espectro, uma ilusão. Onde tem muita água pode ser só afogamento, em idéias, em fantasias, em mais uma busca vã no outro, daquilo que não se consegue ter em si. É fácil cair nessa, ainda mais quando se tem o hábito adquirido de estar sempre atrás uma novidade. Uma pessoa em cada porto. Frenéticamente, fingindo para si e para os outros que está de posse de sua serenidade. O travesseiro se engana algum tempo. Não para sempre. Assim como caranguejo não é peixe, jacaré não é surf. Fazer análise não é só buscar o consultório de um profissional. Encontrar um amor também não é só achar uma figurinha com pontos em comum. Como saber do seu desejo( não só o sexual) sem se conhecer?

O lance é fazer o trabalho primeiro e depois sim, sem pular etapas importantes, encontrar a recompensa, que virá.
Vou parar por aqui. Não tenho nenhuma pretenção a fazer um consultório sentimental. Mas alertar os mais afoitos que teimam em colocar viseira no lugar de óculos quando se trata de "relação afetiva", eu até posso tentar. É só um lembrete: não tente fazer em "casa" o que lê aqui. Prudência, mesmo que a paisagem seja nova. Senão "jacaré abraça"....( imagem encontrada no Google)

6 comentários:

  1. eu tinha gostado da história de seu amigo e com essa complementação ainda mais!

    é verdade, antes é construir para depois ter recompensa, se vier... se não vier, ok, vamos em frente.

    e como é complicada a afetividade...e ao mesmo tempo tão fascinante.

    bom dia Camille

    ResponderExcluir
  2. Camille..
    É isso mesmo.
    Precisamos nos conhecer bem pra depois fazer nossas escolhas. Mas acho que escolher nem é bem por aí, já que pra amar, não temos o domínio de amar tal pessoa. Isso tudo é traiçoeiro.
    Mas qdo nos conhecemos colocamos o nosso foco em coisas diferentes e que nos preenche de uma certa forma.
    Se todos nós pudéssemos nos recolher por um tempo, seria ótimo.
    De certa forma eu me recolhi durante anos, devido a depressão etc....
    Hoje estou muito mais seletiva...
    é bem por aí mesmo.

    Beijosss

    ResponderExcluir
  3. A solidão tem o dom de trazer equilíbrio e paz para o nosso espírito. Podemos ir fundo em nossas vontades e carências, sem interferência dos desejos alheios. Quem olha a solidão como algo negro é porque não teve a ousadia de viver. Como ser feliz, sem compreender a vida? Beijus,

    ResponderExcluir
  4. Belo post Ca!
    Hoje o meu blog comemora 8 anos! Convido você pra participar da festa. Big beijos

    ResponderExcluir
  5. As vezes, até com muitos detalhes, existem pessoas que interpretam errado o que escrevemos. Talvez a mente seja muito criativa mesmo, e o cada post abre uma janela ou porta para a outra pessoa entrar, sentar, observar e criticar o que ver e ler. Para a autora do post é preciso muita paciência para aquelas que fazem comentários venenosos e até os mal interpretados.

    Bjks.

    ResponderExcluir
  6. oi flor.
    então Camille
    se o seu amigo está feliz, palmas,
    se foi depois de muito tempo ou com a 3ª esposa também não importa.
    Certamente ele conquistou esta felicidade.
    Sábio foi ele.
    Foi se encontrar para compartilhar a vida com alguém.
    que bom.
    beijinhos.

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.