29 janeiro 2011

Apesar de ser uma industria o cinema ainda consegue produções gloriosas e artezanais: O Discurso do Rei.




Colin Firth de George VI convense muito mais do que eu imaginava. Por que jamais poderia supor que um filme sobre a realeza britanica teria a capacidade de me comover tanto. Mas esse ator, desde Bridget Jones faz aquilo que se espera de um bom ator: vive o personagem. E com uma naturalidade tão leve, que nem suspeitamos que aquele não é o verdadeiro rei. Que rei. Muito antes de se tornar rei, esse filme conta a história de uma pessoa, um duque inglês, irmão do futuro rei que abdica do trono para se casar com Wallis Simpsom uma mulher divorciada duas vezes e que por isso não poderia ser rainha.
Acontece que o tal duque é gago, e esse limitador impede que ele conte ate para si mesmo sua ambição, vontade ou vocação, de vir a estar no lugar de rei, que o irmão não quer ocupar. Assim, ele e a mulher procuram um terapeuta. A mulher( a futura "rainha mãe" da rainha Elisabeth) é representada pela grande atriz Helena Bonham Carter. Perfeita nesse papel contido, sem os exageros do diretor Tim Burton, seu marido, de quem ela é musa, mas não é sua invençao. Já tinha vida própria como atriz antes dele e continua tendo.
O terapeuta é o ator Geoffrey Rush, já vencedor de um Oscar com Shine. O que diz minimamente sobre seu maravilhoso trabalho. Sua atuação em "O Discurso do Rei" é esplendida. E o contracenar dos dois atores tão artezanais na sua criação de tipos, que dá o tom da "terapia": "fale como se estivesse falando com um amigo" diz o terapeuta ao rei , minutos antes dele falar na rádio em cadeia nacional. É o que os dois fazem, parecem todo o tempo que estão conversando em casa, ensaiando apenas, sem nenhuma platéia ou câmera. É um total assujeitamento a carreira que escolheram: atores. Sim, por que não são apenas naturais, sensíveis e tranquilos em suas atuações. Estão de fato vivendo outras pessoas, reais, com seus tiques, seus defeitos, suas qualidades, seus sonhos, medos, obstáculos e superação através da confiança um no outro. Um filme cheio de humanidade. Glorioso, por isso mesmo. Suntuoso por que o cenário é um palácio e simples ao sinalizar que todo mundo é gente como a gente. Da ate para ter peninha na rainha Elisabeth e da princesa Margareth, duas meninas tão fofinhas e simpáticas que se tornam essas pessoas que são hoje. Assistam logo o filme. Depois dos Oscares, a fila vai ser maior ainda.

7 comentários:

  1. Uau, depois deste comentário entusiasmado vou correndo ao cinema.
    Valeu, Camille. Beijo.
    ***
    PS: tenho um amigo que é gago, à exceção de quando canta.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curiosa.
    Imagino o ator como um médium. O médium deve concentrar-se para eliminar seus pensamentos e deixar fluir o pensamento do espirito.
    O ator faz o mesmo com seu personagem. Deve ser fascinante viver outras vidas desta maneira.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Já assisti alguns filmes do Colin Firth além de Bridget Jones, ele é fantástico. Incorpora cada personagem, torço para que ele leve o Oscar.
    Big Beijos e bom fds!

    ResponderExcluir
  4. Que gostoso ver a Lulu por aqui, gosto muito dela!

    eu vi esse filme, gostei muito! tb tive a mesma impressão que vc, de um filme feito com cuidado - sem clichê, efeitos elaborados nem carros explodindo.

    e bacana é o mudar de postura: algo que se torcia o nariz tornar-se interessante e apreciável (realeza britânica). Essa é a chave da vida, renovar conceitos.

    ih, olha eu aqui tb querendo escrever carta em vez de comentário rs. (mas vc fique a vontade, sempre que quiser desabafar nos comentários, solte o verbo por lá. não se restrinja de nada, o blog lá é seu, sempre)
    bjs e bom domingo

    ResponderExcluir
  5. ah, eu tenho visto comerciais sobre esse filme pelas indicações ao oscar. estou com vontade de ver. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  6. Você poderia se candidatar a jornalista de cinema num grande veiculo de mídia. Normalmente ouço na BandNewsFM a Tatiana Vasconcellos e você seria um páreo duro para ela

    Ainda não mudei, estou fazendo algumas mudanças mas é rápida

    Bom domingo pra vocês

    =)

    ResponderExcluir
  7. Estou mesmo louca para ver este filme, primeiro que gosto do tema e segundo que o que é este Colin Firth??? Tudo de bom :))
    beijos minha linda!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.