21 março 2010

Ayuasca.Como o chá sagrado dos indios pode ser responsabilizado pelos atos do homem branco?


Sei que o assunto é extremamente polêmico. E longe de mim querer me meter nessa querela. Só estou mais uma vez vendo a mídia fazer confusão. Ainda mais em revistas semanais, editoriais, que deveriam fazer uma pesquisa mais relevante antes de se pronunciar sobre o que quer que seja.


Na capa da Veja, a manchete é a seguinte: "O PSICÓTICO E O SANTO DAIME. Até que ponto se justifica a tolerancia com uma droga alucinógena usada em rituais de uma seita?"


Acompanhei com interesse sociológico, os anos de persistência da União do Vegetal nominalmente, uma religião bastante discreta e criteriosa, no sentido de legalizar a prática de suas sessões, utilizando o chá Ayuasca. E já comentei em outro post, o que eu li durante este tempo nos jornais sobre esse chá ser ou não ser droga ou necessariamente, um alucinógeno.


Critério e serenidade, são quesitos importantes para falar desse chá misterioso e de sua utilização. Assim como critério e serenidade são necessários, além de muito conhecimento sobre o chá e o ser humano, para dicernir quem pode e quem não pode fazer uso do Ayuasca. Psicose e outros problemas psiquiátricos não são compatíveis com uma bebida que abre o insconsciente de forma ampla e profunda. Abre e fecha em uma sessão xamânica, dirigida com rigor para ter começo, meio e fim. Ou seja, fechamento do que se abriu. O psicótico que já esteja-com ou sem chá- com seu inconsciente a céu aberto, não vai fechá-lo através da regencia de um mestre xamânico ao final de uma sessão, como os não psicóticos costumam fazer, e portanto deveria ser impedido de compartilhar dessas sessões. Assim, pelo que entendi, faz a União do Vegetal desde sua fundação. Seleciona, através de diversas entrevistas, quem pode beber o chá e quem não pode. Não se trata pelo que compreendo do assunto, de discriminação no sentido segregador, mas de cuidado com a própria pessoa que está querendo participar.


Como falei anteriormente, desconheço as práticas do Santo Daime e também, seus critérios. E assim, penso que não se deveria colocar como "farinha do mesmo saco" todas as seitas ou religiões- no sentido do re-ligare- que fazem uso do Ayuasca.


Nem dizer que o culpado de um assassinato foi o chá. Mas talvez, o mau uso que se pode fazer dele. Pela falta de criterio por exemplo, ao aceitar um psicótico -como esta se afirmando que o assassino de Glauco é- em uma reunião, como o Daime chama esses encontros. Vocês podem perguntar: mas como alguém vai adivinhar se a pessoa é psicótica ou não? Não adivinha. Por isso mesmo que não é abrir a porta e deixar entrar quem quiser, para beber o chá. É necessário analisar cada caso através de pessoas com experiência e mestria suficientes com relação ao Ayuasca e capacidade de perceber quem pode ou não participar.


Li sobre a vida de José Gabriel da Costa, Mestre Gabriel, o criador da União do Vegetal. Um seringueiro do Amazonas que em contato com os índios descobriu o Ayuasca e sua força transformadora. Capaz de iluminar com brandura a mente de quem bebe o chá e mudar o que precisa ser mudado. Propiciar evolução. Acredito nessa possibilidade.


E por ter um pouquinho de cultura a respeito do assunto, que me coloquei aqui, nesse espaço que criei, o Camélia de Pedra, em defesa do dicernimento das diferentes práticas dos grupos que bebem Ayuasca. Uma coisa é uma coisa, outra coisa pode ser outra coisa, completamente equivocada na sua maneira de proceder, daí o problema. Com-ciência, é um jeito mais interessante para evitar qualquer julgamento precipitado.


Portanto jornalistas, abram os olhos e estudem, pesquisem, para não crucificar mais uma vez alguma coisa, pessoa ou movimento bacana, em nome da generalização, tão comum ao ritmo frenético que a mídia costuma querer abraçar o mundo. ( imagem retirada de pesquisa no Google)

16 comentários:

  1. Essa revista é sensacionalista...não acompanhei o caso, acho que por isso não tenho opinião. Mas acho que o chá deve ser culpado de assinato. É uma boa desculpa. Bom domingo!!! BJks

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, camile.
    Nem me fala nesse triste fato. Penso que ao se meter com essas coisas, tem que saber quem vem gente desequilibrada de montão atrás. Todo mundo já sabe que o Presidente Lula sancionou uma lei dando plena liberdade para esas pessoas consumirem essa droga nos rituais do santo Daime. Uma lástima.
    Estou dando uma navegada rápida para ver as novidades e comunicar o motivo da minha ausência esta semana. Eu moro no meio do mato, literalmente. A única conexão que consegui por aqui foi um 3G, onde devido a altura e, sobretudo a mata, o sinal é extremamente precário. Telefonia nem pensar. Só que esta semana o aparelho apresentou um problema e minha filha levou para o Rio e deixou em manutenção. Não sei quanto tempo vou ficar sem ele, mas de uma coisa eu sei: estou morrendo de saudades dessa troca que fazemos todos os dias. Espero que não me abandone.
    Por causa disso, sou obrigada a apelar para a lanhouse, coisa que eu detesto e o faço bem rapidamente.
    Pode estar certa, se eu não contar uma história a cada dia para você, é que estou em sérios problemas. Eu amo essa relação que só o blog nos permite ter. Aproveito para dar os parabéns pelo dia de ontem, afinal todos somos grandes contadores de histórias.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja uma boa semana para você.
    Beijo grande e Saudações Florestais !
    em http://www.silnunesprof.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Não acredito que o chá, transforme uma pessoa normal em assassino. Sei lá que doença esse sujeito tem, mas não acho normal.

    Bom domingo Camille

    bj

    ResponderExcluir
  4. Camille, nao acho que foi o Daime que levou esse rapaz a matar.
    No entanto, eu acho que, naod evemos tirar dos profissionais especializados o papel de curar doentes, entregando-o a toda sorte de chás, ervas, etc.
    Quando eu adoeci, Camille..foi dia 30 de junho de 2007. Foi algo aterrador. Eu levava uma vida bema tiva na blogosfera, participava de grupos de artes, etc..fazia faculdade de Direito, vivia com um pé na Àfrica, outro na SUécia e uma mao no Brasil..Vivia a vida de forma BEM ATIVA.
    POis bem...no segundo mês em que eu tinha idas e recaidas, uma irma disse ao meu marido: VAMOS TER QUE APELAR PARA UM PAI DE SANTO.
    Meu marido nao aceitou...Mas, eu naoe stava em condices de decidir nada. Ele, depois de meses, convivendo com recaidas....decidiu, com um conselho vindo de um neurologista brasileiro: TIRE A SUA MULHER DO PAIS, POR QUE O QUE ELA PRECISA É DE CALMARIA. O cérebro captou stress de uma vida toda e vai levar tempo para ela ficar curada...

    Isso foi em 2007, Camille...Nao teve jeito algum dos chás administrado por quem quer que seja. O que tem me curado mesmo é a Fé que me levanta e os médicos...
    Acho que, essa mistura de valores, tem levado á loucura de mutia gente.
    Até o pai desse rapaz deveria ser rsponsabilizado criminalmente. Principalmente, depois da entrevista que deu, falando d ecomo encotnrou o filho...
    Mas, enfim...Duas vidas despedacadas....de forma cruel.
    bjs e dias felizes

    ResponderExcluir
  5. Cam, vc uma ve já postou sobre esse chazinho milagroso. As pessoas adoram uma desculpa para os seus atos.

    Boa semana

    Bjao

    ResponderExcluir
  6. Camile:
    Todos os dias a mídia descobre um assunto para matelar nas TVs. Você escreveu sobre o chá, a Veja também falou sobre ele. Pois é, concordo com você. Existem assuntos que devem ser pesquisados antes de serem "revirados" de ponta cabeça como sempre é feito.

    Uma boa semana!
    Obrigada pelo comentário no blog.
    Até mais.
    Anny.

    ResponderExcluir
  7. Camile,

    mais uma vez o equívoco ao analizar coisas sérias se faz presente.
    Acredito que todos devem ser responsáveis por seus atos, mesmo os piores possíveis. Atribuir a responsabilidade a qualquer outro fator, seja, chás, drogas, o que for é uma maneira muito fácil de fugir das consequências dos atos praticados.

    Quantos dependentes de drogas existem no mundo? Muitos, mas nem todos são assassinos.
    É muito comveniente se matar alguém e depois se atribuir a culpa a outros motivos,e não a índole permissiva e má.
    E isso ainda fornece armas para outros praticarem atos abnomináveis e se espaldarem nos chás, drogas e até a suposta influência de filmes e outros fatores.

    na foto sou eu! Qdo vi tb achei tão bonito que duvidei que fosse.
    Foi um gentil presente de um artista plástico baiano. Vou colocar os créditos lá.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Oi Camille.
    Pedir para a turma da Veja que estude, pesquise e tenha discernimento antes de publicar uma reportagem explosiva como a do assassinato do Glauco, é pregar no deserto - a ética jornalística parece ter abandonado definitivamente aquelas plagas. Os caras criam uma tese - a culpa do assassinato foi do chá, por exemplo - e depois saem atrás de quem a confirme. Quando os fatos contradizem a tese, danem-se os fatos.
    Quanto ao uso do chá Ayuasca, acho as tuas observações extremamente pertinentes - não é qualquer um que está qualificado para vivenciar uma experiência desta natureza. Cabe aos xamãs determinar quem está apto.
    Sobre o assunto, ouso indicar os livros de Carlos Castañeda (A Erva do Diabo, Uma Estranha Realidade e Viagem a Ixtlan, entre outros) que, por um breve tempo, foram guias espirituais da minha geração.

    Beijo pra você.

    ResponderExcluir
  9. Concordo que para usar qualquer chá tem que ser muito bem analisado, uma vez que já existem provas que os chás podem interagir com remédios e inclusive prejudicar se forem tomados
    aleatoriamente.
    Evito qualquer chá por estes motivos.
    Esta revista (Veja) não tem critérios éticos para nada. Não gosto, não compro, não leio.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. De sensatez a sua postagem.
    E a mídia, é hipnótica.

    ResponderExcluir
  11. Cam, vai lá no blogue da Glorinha saber! http://cafecomglorinha.blogspot.com - Ela é super gente boa! Recomendo!!
    Depois venho ler sua postagem que agora estou correndo :D Beijus,

    ResponderExcluir
  12. A questão é a forma como o tal chá é utilizado, a matéria em si teve um enfoque conturbado, como sempre. Quem escreveu não sabia nem o que era o chá em si, não pesquisou e escreveu meia dúzia de bobagens.
    Enfim, no caso especifico do Glauco, ele criou uma nova religião e como de costume levou costumes de outras crenças para lá.
    O rapaz em questão era dependente químico, nunca poderia ter tomado esse chá. Mas não acredito que tenha sido esse o motivo do crime e sinceramente acho que tem muito mais coisas por trás dessas história. O chá virou desculpa para não se falar nas reticências que o caso deixa no ar.
    Beijos carissima

    ResponderExcluir
  13. Realmente é preciso ciencia, discernimento e principalmente sentimento a respeito da questão, pois envonlve parâmetros que não podem ser captados pelo pobre intelecto da sociedade, que a muito tem as emoções engessadas por preconceitos e diferenças. È preciso que conheçam mais de si mesmos, tenham abertura para se encantarem com as belezas da flor, que a todos nos faz irmãos, que cultivem verdadeira simplicidade que nos permita ver a luz a paz e o amor no sorriso das crianças...

    meu sincero reconhecimento a coerencia das palavras postadas neste blog e também a narrativa vívida do deputado Moisés Diniz em: http://prod.midiaindependente.org/eo/blue/2010/03/468081.shtml

    ResponderExcluir
  14. Faremos um sorteio no blog. Passe por lá para saber como e quando. E faca a sua inscricao para poder participar.


    Abracos

    ResponderExcluir
  15. Os jornalistas se moldam à casa da qual publicam, também não vamos generalizar!

    Não entendi o porque de falarem do chá ser causador da morte do Glauco. O assassino tinha fumado maconha, porque não falaram da maconha?

    O rapaz frequentou algumas vezes a chácara e talvez tenha sido impedido pelo Glauco. Será que não foi este um dos motivos do assassinato? Ele pode ter se sentido excluído e uma comporta das neuras se abrido.

    Os índios também usam coca, mas tudo de forma tão rude e dentro das tradições deles. Mas essa moçadinha que se droga; fuma maconha, na falta ou mesmo dependendo da oportunidade, querem tudo o que faz 'viajar' e experimentam - que seja chá de cogumelo ou esse chá do Daime.

    De tudo, só queria saber o porque dizem "Santo" Daime. Enfim, já expus minha opinião e não acho que seja necessário sentir a presença divina usando artifícios.

    Bom fim de semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  16. Não sei por que é "Santo". Provavelmente por considerarem santo aquilo que fazem. E cada um tenha o santo que merece. É uma questao de escolha, compreensao do mundo, etc.
    Bjos

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.