24 novembro 2006

Philipe Noiret, A-Deus

Ontem morreu Philipe Noiret, o maravilhoso ator de Cinema Paradiso e de O Carteiro e o Poeta. Eu estava tão atarefada que nem me dei conta dessa grande perda para a humanidade. Toda aquela sensibilidade ajudava a preencher esse enorme vazio de sentimentos que o mundo vem se tornando, nessa era de tanta banalização.
Mas hoje, ouvindo o programa de rádio de Salomão Swartzman- já ouviram esse programa?- ele fazia uma homenagem linda ao Noiret. Contando coisas belíssimas de sua extensa carreira que eu nem sabia que era tão grande. Atribuia importancia máxima a carreira de ator de Philipe Noiret pelos dois filmes já citados que tanto marcaram minha vida. O Carteiro por exemplo, foi lançado no Brasil na mesma época em que eu me mudei para São Paulo. Lembro de ter ido assistir por recomendação da minha mãe. Ela me disse: a crítica foi horrivel, deram duas estrelinhas no jornal para um filme tão sensível, imperdível. E la fui eu conferir, sozinha, num desses cinemas da Paulista, o Belas Artes se não me engano. E realmente, vi o filme mais lindo de todos. Desses que eu guardo em DVD como a preciosidade que é. Pronto para ser assistido milhares de vezes para o resto da vida. Feito um música clássica perfeita, daquelas que a gente nunca se cansa de ouvir e admira cada vez mais. Isso graças principalmente a interpretação de Philipe Noiret, que de tão boa chega a ser autoral- ele reescrevia seus personagens com cada olhar, com cada fala. E neste filme especialmente, contracena com o talentosíssimo Massimo Troisi, que estava doente do coração durante as filmagens e morreu um dia depois do filme concluído, como se estivesse esperando só aquele tempo para deixar uma marca importante, um inesquecível registro de sua passagem por essa Terra.
Quanto ao nosso poeta, Philipe Noiret, pelo que aprendi com o programa do Swartzman, deixou muitas outras obras maravilhosas. Como por exemplo "A Comilança", uma comédia rascante, onde participaram também os talentos de Marcello Matroiani e de Ugo Tognazzi.
O programa de rádio para deixar a homenagem ainda mais tocante, colocou aquele tango que no filme do Carteiro, Pablo Neruda( Noiret) dança com sua mulher. Um cena memorável, no cenário estonteante da encosta da Itália, onde Neruda permaneceu alguns anos, exilado. Chorei muito, muito, enquanto me dirigia de carro ao meu destino matutino. Pensando que certas coisas não podem passar em branco, como a despedida de um ator tão brilhante, que tanto deu de si para tornar as nossas vidas mais interessantes e cheias de novos sentidos. Com todo carinho, digo adeus a Philipe Noiret. Que se divirta muito com seus amigos e colegas de profissão, num outro plano de existencia, caso exista. Que descanse em paz, por seu papel cumprido como ser humano.

7 comentários:

  1. Puxa! eu nem soube da sua morte :(
    O Carteiro e o Poeta é um filme que tenho em casa, impossível resistir a vê-lo vez ou outra e não se emocionar.
    Bom final de semana,flor
    beijosssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Sensível e linda homenagem. Merecida querida, merecida.

    beijos linda e bom fds.

    ResponderExcluir
  3. Noiret e Neruda se misturam em minhas lembranças... agora para sempre!
    então dizem que pedido de típica carente não deve ser contrariado... sabe como é, né?!
    pavê de natal... vou procurar!
    bjs!

    ResponderExcluir
  4. Vez por outra a gente se depara com uma dessas façanhas. Alguém que se mostrou de uma valia sem preço para a humanidade, pelo seu talento, por marcas prfundas que fez e deixa, assim, de repente, sem que o mundo ou ninguém as explique. Perdemos algo valoroso, o natural é lamentarmos por um bom tempo, pessoas como Ele não surgem facilmente.
    Coisas previsíveis, enquanto era, como nós mortais. Mas lamentável sem dúvidas.

    Um abraço
    Naeno

    ResponderExcluir
  5. Eu venho agora, depois do comentário, lhe sugerir que faça uma visita ao meu blog.Eu coloquei o seu como um dos meus indicados.

    Um beijo

    Naeno

    ResponderExcluir
  6. Quanto aA Comilança, não achei uma comédia rascante, mais um erótico com piadinhas. Não estou dizendo que não gostei, pelo contrário, Mastrianni estava ótimo, assim como o seu, justamente, homenageado.

    ResponderExcluir
  7. Vc me emocionou, eu tb fiz um post falando dele, tão querido parecia ser. E vi tantos filmes dele... bj slaura

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.