18 agosto 2006

"Se tudo começou no Big Bang, só tinha que acabar no Big Mac" -GRUPO CORPO

Ontem fui assisir o novo espetáculo do Grupo Corpo. Grupo de dança moderna, de Minas Gerais. Quer dizer, já faz tempo que é do mundo. Foi lindo. Eu gosto muito de dança moderna. Mas não sou suspeita para falar. Quando não gosto, não digo é nada.
O primeiro ato vamos dizer assim, já que é tão teatral o trabalho, chama-se "Missa do Orfanato" com coreografia de Rodrigo Pederneiras, o diretor do grupo. Foi um momento minimalista, mas como o minimalismo europeu, descaracterizando um pouco o trabalho tão fincado em raízes brasileiras que o grupo vinha apresentando. Estava muito "Pina Bauch" ( ou Bauss?) , inclusive com relação ao cenário, aos figurinos, beeeem europeus. E mesmo ao gestual. A música de Mozart que não chegava a ser um requiem dava o tom "orfanato" da coisa, dramático. Parecia que o Grupo Corpo estava dizendo: nós temos expertise suficiente para fazer um balé tal e qual, com a mesma qualidade do balé europeu. Quanto a isso, não deixou a menor dúvida.
A segunda parte, ganhou meu coração definitivamente: diversas músicas de Caetano Veloso compostas para o espetáculo, em harmonia com a capacidade visceral do grupo de se entragar no palco às mais diversas tendencias que o balé moderno pode ter. Inclusive ao sotaque próprio. Ou seja, a originalidade do grupo. Me tocou especialmente duas cenas que acontecem lado a lado: uma relação sexual entre um homem e uma mulher e uma relação sexual entre uma mulher e outra mulher. É uma explicação poética, quase didática do que vem a ser o homossexualismo feminimo e a diferença de uma relação hetero. Se igualando em carinho, em afeto. Amei. Também fiquei fascinada com uma coreografia muito gingada para "fla-flu" música composta por Caetano e José Miguel Wisnik. E a dança vai continuar. Depois do Grupo Corpo , o Teatro Alfa apresentará outros espetáculos de dança , inclusive um da própria Pina Bauch, que tanto influenciou os mais diversos grupos no mundo inteiro. Vou ver. Até por que saí dali cheia de idéias, com novo entusiamo para meus próprios projetos, querendo acrescentar novos ritmos ao meu cotidiano. Se você está em São Paulo aproveite esta temporada rica em movimentos, tanto externos no palco, quanto internos. Com capacidade de fazer o seu interior sacolejar um pouco e com muita harmonia.

Outro assunto: Laura do Laura Vive ( link ai ao lado) está sugerindo que façamos uma blogagem coletiva para denunciar, escancarar, dizer o que sentimos com essa onda de violencia, corrupção, descaso que acontece no Brasil. Hoje especialmente no Rio e em São Paulo. Propõe que a blogagem seja feita no dia 22. Estou dentro. Está na hora da gente se unir e dizer alguma coisa. Fazemos parte de muitos grupos. Um deles é o grupo de bloggeiros. Se pudermos nos unir por uma causa, vamos aproveitar um veiculo importante que criamos, para mostrar o que temos a dizer. Certametne a maioria de nós abriu um blog para se comunicar . Já que temos essa VOZ, vamos mostrar o tom de nossa indignação e na maior dignidade. Conte comigo Laura e conto com vocês também.

2 comentários:

  1. Esse espetáculo parece ter sido muito bom mesmo!!! Bom findi para você!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cam! Demorou, mas apareci! Puxa, adoraria ter visto como dançarinos explicam no palco a diferença do amor hetero para o amor lesbico... Deve ter sido lindo! Como vai voce? E que projetos sao esses, que voce cita muito por alto, hein? O que anda aprontando? Eu tenho uma excelente novidade... Aguarda para muito breve! Beijocas, Karla.

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.