03 abril 2014

Tudo é bom. O que não presta é o excesso.

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena". Concordo inteiramente com o grande poeta Pessoa. Até falar sozinha(o) como dizíamos outro dia. E chorar sozinha(o) é bom? Claro que sim. É uma limpeza da alma, um estar consigo mesma(o). Já percebeu que as vezes a gente dá um esbarrão na quina da mesa e se tiver alguém por perto a gente pragueja, grita: ai!!!! A queixa é solidária, sim. Tem alguém para escutar? Para perguntar, o que foi? Ótimo, vamos compartilhar o mal estar do momento. Agora, chorar, a gente chora alto, chora baixo, não importa se alguém vai ouvir ou não. Melhor até que não ouça. Como diria Caetano Veloso, "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é". E às vezes é preciso um booom desabafo mesmo. Mas chorar todos os dias, alto ou baixo, e muito, será que é bom? Depende. No caso de uma grande perda, ajuda a aliviar. Fora isso, pode ser sinal de que alguma coisa não vai nada bem, melhor procurar um médico, um psicanalista, ou pelo menos uma pessoa de confiança para bater um papinho, contar o que está se passando. E ver o que fazer sobre isso. Beber água é bom? Excelente. Devemos beber uns seis a oito copos por dia, para ficarmos hidratadas(os) , pelo menos foi o que li por aí. E beber água em excesso? Afoga... mesmo. Amar é bom? Claro, saudável, mostra que somos capazes de fazer vínculo, criar laços, endereçar nosso afeto. E amar em demasia, será que é bom? Desesperar de amor, sucumbir de tanto amor. Nem quando o objeto de amor são os filhos, pode ser bom. O excesso de amor sufoca. E é adoecedor.
E por aí vai, com tudo: sexo é bom? Sim. E o excesso? Pode estar encobrindo uma grande ansiedade, que precisa de descarga toda hora....Auto-confiança é bom? Claro, precisamos dela para conquistar nosso lugar no mundo. E o excesso? Hum... pode trazer uma soberba desnecessária, afinal de contas somos todos igualmente mortais. Pode também fazer com que não observemos os perigos dessa vida: ah, sou mais eu!!! Atravessa a rua sem olhar para os lados, vem um carro a toda e aí? Olha o que o excesso fez...
Pode fazer um teste: tudo que é bom, fica ruim quando é excesso. A palavra excesso já demonstra alguma coisa que transborda, que está a mais do que o necessário. E o excesso de uma atitude, um prazer , uma dor, ou o que quer que seja, pode simplesmente estar encobrindo a falta de alguma coisa que esteja de menos na vida da gente. Vamos ver um exemplo banal: fazer compras é bom? Delícia. Que não gosta de bater perninhas num shopping e comprar uma roupa nova, que vai ficar linda para o dia tal?... E passar dias inteiros enfiadas(os) dentro de lojas, comprando, comprando e comprando, é bom? É só pensar um pouco: não. Quem está o tempo todo nessa atividade tão desnecessária para todos os dias, em geral ou está fugindo de uma verdade que não quer ver, o conhecido "tapar o sol com a peneira", ou viciou e pensa que precisa que não vive sem isso. Você sabia que aquilo que causa prazer imediato vicia? Chocolate, cigarro, bebida, sexo, consumo/ compras, comida e tantos outros hábitos. Porque o grande exercício da vida é justo é viver - o dia a dia - com todas as sua cores, seus prazeres e também as suas dores, os deveres, as alegrias, tudo equilibrado. Está viva(o)? Então tem que encarar. Coragem. E chega de excessos para quem gosta de exagerar. O excesso causa a dor. Ou esconde onde está doendo. Quem quer? Eu não quero não, obrigada. Vamos então atras do equilíbrio.
Todo mundo conhece uma receitinha boa: yoga, corrida, tricô, e tantas outras coisas que acalmam, tranquilizam, fazem bem. Terapias, psicanálise. Enfim, não há uma coisa. Ainda bem, são muitos os recursos para a gente buscar um equilíbrio, um ponto de reflexão. Compreendendo que o viver de cada um é de cada um. O que agrada a você não precisa agradar o vizinho. Cada pessoa tem a sua singularidade. Mas definitivamente, o que é igual para todos é o tal do excesso: transbordou? Presta atenção. Alguma coisa precisa melhorar nesse cenário. Simples de observar? É sim. Vamos ficar atentas(os) a nós. E tudo irá melhor. Beijinhos. E até a próxima. Imagem 1 site gruponovoalento.com Imagem 2 emtempo.com Imagem 3 terra.com.br

7 comentários:

  1. Completamente correto o pensamento de que tudo em demasia, excesso, não é nada bom.
    UMa das coisas que vejo ocorrer bem próximo a mim, é o excesso de amor, de cuidado, de carinho, de zelo, de medo no final das contas por perder sua filha, neste caso, uma parente minha que já perdeu o marido precocemente e está tendo este exagero sobre a menina. Agora, as coisas estão começando a clarear, principalmente para a jovem, pois está aceitando ir a um psicólogo, mas acho que nestes casos, a pessoa que comete este excesso, deveria procurar também um tratamento, pois quando é assim, a pessoa não se enxerga, sofre, chora e diz que dá de tudo, até a vida, mas o excesso é que o grande problema nisso tudo.
    O excesso que ando cometendo é com docinhos, se eu sair todo dia tenho que comer um na rua. Às vezes eu fallo pra mim mesma, 'não, não comer hoje', mas quando vejo estou lá, em alguma cafeteria charmosinha, com o pretexto do café da tarde e toma um docinho junto. Ai como eu sofro disso! kkkkkk
    Ah e por falar em cuidar, como você está lindona, emagreceu tudo, parece que depois que desestressou com o lançamento do livro, resolveu ficar de bem com a vida e eu quero parabenizá-la e dizer que estou à procura, já fui em várias farmácias do gênero, e não acho o tal do Mellora, acho que vou comprar pela internet mesmo.
    um grande beijo carioca


    ResponderExcluir
  2. Oi querida, Mellora é produto espanhol, as vezes falta nas farmacias e mais facil comprar por internet. Minha tia conseguiu comprar assim ai para o RJ. Aqui por SP tem facil, acho que caiu no gosto da freguesia.
    Não foi estresse que me engordou antes do lançamento do livro que alias nao teve nenhum estresse gracia Dio, e esta na segunda edição. Engordei ali , antes do lançamento de SP, por outras razões comentaveis por emails, in box ou afins... Mas obrigada, que bom que voce notou. O excesso é o principio basico para observar se uma coisa é patologica ou não. Sofre ou sofre muiiiiiiiito? Se afeta com as coisas ou tem uma verdadeira hecatombe emocional. E por ai vai. E se a gente for perceber o que é excesso realmente complica na maior parte dos casos das coisas boas, inclusive. Um docinho por dia? Aproveite ne? Se quiser não comer nem esse, peça um salgado para substituir o habito aos poucos. Se não der certo, peça um salgado em outra confeitaria. O lance é mudar o habito, o habito e o vicio... sao tão proximos quando o assunto é comportamento ne? A gente ve com as pessoas que querem parar de fumar por exemplo: colocam a placa de nicoitina. Mas e dai? E aquela oralidade toda mal resolvida? Vai colocar outra coisa qualquer na boca...enfim, vai roer tampa de penico como diz o povo... Enfim, adoro seus comentarios por que você dialoga. Que delicia. Bjoss Beth. E obrigada,
    Cam

    ResponderExcluir
  3. Michelle Siqueira, achei um comentario teu aqui, dizendo que tinha deixado um outro comentario. Quando fui clicarr nele acho que deletei sem querer. Me desculpe. O outro comentário teu, não tinha não. Bjosss e obrigada.
    Cam

    ResponderExcluir
  4. Oi, Camille, como diz um pensamento, "a sabedoria está no meio", ou "no equilíbrio".
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Isso ai Jussara, na justa medida, no necessário, no bom o bastante.
    Um beijo e grata pelo comentario,
    Cam

    ResponderExcluir
  6. Camille,

    Perfeito. Concordo que excesso só faz mal, não tras vantagens e sim complicações.

    - Está viva(o)? Então tem que encarar. Coragem.
    É isso que muitas vezes me digo: não tem jeito, então vamos em frente.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Querida Sissym, o budismo diz que encarnar como humano é tão fácil quanto uma argola estar boiando no oceano, uma tartaruga marinha emergir aleatoriamente e seu pescoço coincidir de entrar naquele buraco. Logo, temos muita sorte e privilégio de estar aqui. Hoje - ontem- foi-se o Wilker. E fiquei pensando o quanto precisamos muito aproveitar essa vida, a cada minuto. É a que temos, e talvez, não haja outra. Coragem então e muito entuasiamo para viver imensa e intensamente. Bjos querida e muitas alegrias para você e sua filha!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.