15 agosto 2011

Dever ou Lição de Casa?


Tem gente que chama de lição. De fato é o exercício de aprender. Outros de dever, sim é obrigação, o trabalho do estudante. A palavra que menos gosto é "tarefa". Me parece que serve para designar coisas menos específicas. Mas esta é a só a minha opinião.
Hoje o dever de casa de minha filha era de Lingua Portuguesa. E junto com textos sobre deuses da mitologia grega, vinha também e como sempre, gramática. Agora o X é a questão: você sabia que quase todas as palavras que começam com ME, se tiver que escolher entre X e CH, a resposta certa será...X? Menos...MECHA! A única exceção. Por que? Não sei, você sabe? Mesmo sem saber, fica o registro, dessa lingua tão rica e também cheia de exceções e singularidade plural.
Antes do dever, lição, tarefa que seja, vai, contei para a A. sobre as filhas de uma ex-colega de trabalho, que estão morando no mar- eu só soube na semana passada, por que conheci sua mãe, por sinal uma pessoa muito rica em experiências de vida também, muito vivaz. Deve ter sido uma boa influência para essa filha tão curiosa e destemida. Mas então, a familia da amiga: ela, o marido e as filhas, moram num barco e as meninas estudam nessa "escola flutuante", como chamou a moça. Vimos as fotos delas na internet. E entrei em contato com a Sandra, essa pessoa que eu nao via ha tantos anos e nem sabia dela.
Realmente,a vida no mar é uma escola de vida. Onde os deveres de casa, são também os deveres de mar. Uma vida cheia de tarefas, como ficar acordado de noite revesando, pois um barco nunca pode ficar a deriva. São todos igualmente marujos de cada jornada. Bela lição de vida. ( imagem encontrada no site globo.com)

9 comentários:

  1. Oi Cam! É verdade, existem outras lições que não são formais mas que nos ensinam tanto, ou mais, da vida. Lição do mar... gostei! Um beijo, Deia.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se aguentaria viver no Mar viu. Qto a Lingua Portuguesa ela é tão rica e ao mesmo tempo tão complexa.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente estão matando aos poucos a nossa língua, que é tão complexa, mas tão linda.
    Eu não conseguiria viver enclausurada seja em que lugar for... Mas a experiência deve ser ótima e isso como tantas outras não é na escola que se aprende.

    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Poxa, Cam, viver no mar não deve ser mole! Eu não gostaria, sinceramente!
    Meus pés adoram terra firme. hehe
    Quanto à complexidade de nossa língua mater, digo-lhe que mesmo a gente estudando-a bem, lendo bastante também, sempre teremos alguma dúvida com uma ou outra palavra.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  5. Pra vc ver que coisa boa ter amigos! Receber uma notícias dessas, algo tão inusitado! Acho muito bacana! Adoro entrar em contacto com velhas amigas pra saber o que elas andam fazendo e sempre há surpresas.

    Nesse seu post encontrei qq semelhança na nossa maneira de pensar e escrever. Algo que nos aproxima. Dps explico que aqui tem bebê chorando e papinha no fogo... ai!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Espírito aventureiro, morar num barco, um exemplo de desapego total

    As crianças nesse caso precisam de muita disciplina e obrigações, em falta na maioria dos jovens de hoje, principalmente os mais abonados

    =)

    ResponderExcluir
  7. Que legal Michelle, me conte!
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. É isso mesmo que penso Milton. As crianças parecem ser bem mais educadas para a comunidade do que "em terra". Quando que a criança poe a mesa, lava pratos, arruma a cama e ate faz comida? Ou é de fato responsavel pela sobrevivencia de todos num determinado momento? A vida no mar proporciona essas vivencias enriquecedoras. E os pais tb tem que ser super pessoas para que tudo isso funcione ne? Eu so pego carona, acho que nao teria essa disposiçao toda...Mas acho superrrr bacana o exemplo, a vida deles.

    ResponderExcluir
  9. Sobre as exceções, tem mecha com ch e tem mexa com x do verbo mexer (que ele mexa), legal que a gente não apenas lê o que vc escreve, nos faz refletir, adorooo, eu nem penso em morar no mar, acho que isso é do destino de alguém, mas a disciplina é maior, lembro do livro de Almir Klink, fiquei na duvida se o sobrenome é assim que se escreve,admirável o relato dele sobre como tinha que ser organizado e prever muitas coisas para evitar, não poderia ter erro, enfim, admirável a vida de sua amiga, beijos Cam, excelente posr.

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.