21 agosto 2011

Cartão fidelidade é para a vida toda?


Sexta-feira recebi uma mensagem do meu cartão de crédito. Uau! Uma dobra, 4 cores frente e verso. Papel couché de gramatura alta. Verniz. Tudo chiquérrimo, caríssimo. Como sou "exclusiva" não é? Não precisava de ter nada escrito. Mas tinha uma daquelas frases manjadérrimas para dizer que vão me dar um presentinho.
Hoje é domingo e chegaram as amigas da minha filha para brincar. Assim eu tenho o privilégio de ficar com ela entretida e feliz e ao mesmo tempo, desfruto de um momento só para mim. Até o ano passado, as coisas não funcionavam desse jeito. Eu trabalhava sábados e domingos impreterivelmente, estressada, sem nenhum outro descanço na semana, para substituir. E assim desde sempre. Teve época em que eu achava isso o máximo. Me considerava muito importante por ter tanta importancia dentro das empresas, que me tornava insubstituível. Com meus altos salários, comissões por produtividade. E nenhum tempo para me olhar e ver. Pouco percebia que escolha mais estranha eu estava fazendo. Nem onde isso podia dar.
Volto ao cartão de crédito. Há uns 10 anos atrás peguei "carona" na Universidade de Harvard, em umas palestras sobre marketing, marketing direto/ de relacionamento, com um dos mega-papas no assunto. Sem citar nenhum nome de nada, vou contar uma historinha: o Sr Marketeiro que era consultor de uma grande cadeia de hotéis, explicava que, apenas 2% dos clientes se atém a brindes e faz qualquer esforço para buscá-los. Por essa descoberta, começaram a implantar anos antes, o sistema de pontuação, como milhagens das CIAs aéreas. Mas que não havia dúvidas, a coisa que fidelizava mesmo, era... o atendimento. Ou seja, nem adiantaria o marketing direto se esfolar de ser bom em relacionamento, o marketing dar prêmio e até pontuação, se os tais hotéis não pensassem minuciosamente em como acolher o hóspede, para deixar boas lembranças.
Se transpusermos o que deveria ser básico no marketing, para a vida: você gostaria de passar a sua existência com um parceiro que maltratasse você, mas desse belos presentes? Dar e ganhar presentes pode ser bom. Mas jamais, para substituir a atenção, o carinho, o companheirismo. E tudo o mais que se espera de um relacionamento. O bom marketing também tem que saber se renovar, oferecer novos serviços e mostrar que você de fato é um cliente exclusivo sem precisar dizer nada. Como diria Vinicios, nosso poeta diplomata: "saber ser cortês sem cortesia" em "Para Viver um Grande Amor".
Recentemente estive numa clínica. E ali, além de pacientes, somos clientes. Consumidores. Soube que lá, há dois funcionários muito bem treinados e atenciosos, para cada paciente/cliente. Mais do que o padrão em um hotel 5 estrelas. Então você se sente confiante, feliz, revigorada, especial.
Na saída, ganhei simplesmente uma maçã. E achei o gesto lindo. Uma super lembrança bacana, para quem ficou 5 dias comendo com horário rigidamente marcado.
Como diria meu avô sobre sua profissão: "o Direito é bom senso". O verdadeiro marketing também. E nossos relacionamentos? Como precisam desse ingrediente.
Vou deixar que meu brinde do cartão de crédito se transforme em doação para instituições carentes, como eles também sugerem nesse faz de conta que somos amigos.
E desejar que tenhamos uma semana 5 estrelas. No melhor sentido. ( foto de banco de imagem gratuito encontrado em busca no Google)

5 comentários:

  1. eu fui cliente unibanco e gostava bastante. tinha uma ou outra ressalva, mas no geral era um banco q ouvia os seus clientes. volte e meia algo na internet me incomodava, dali um tempo corrigiam, às vezes sem eu falar nada e eu percebia q eles tinham ouvido algumas pessoas. eu tenho um certo receio em promessas. gostaria de ter certeza q realmente instituições recebiam apoio ou se é só uma promessa de marketing. tenho receio das arapucas de marketing. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Oi Bella!

    Com certeza relações de afeto pesa bem mais que presentinhos promocionais.

    Fiquei curiosa: Lá no spa eles orientam como vc deve proceder no dia a dia fora daquele luxo de ter um tempo para cuidar só de vc?

    Estava viajando, agora que estou colocando os comentários em dia!

    Um bom finzinho de domingo!

    Beijoooooooooo

    ResponderExcluir
  3. Nada substitui a atenção, o afeto, nas nossas relações.

    Girassóis na sua semana!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Agora me lembrei do que minha mãe disse um dia, sobre o atendimento de uma advogada.
    "Nossa, ela é tão atenciosa, trata a gente tão bem..."
    Mas é claro que trata, estamos pagando pra isso também.
    Acho que ela não entendeu minha resposta.

    Bela reflexão, Camille.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, cara amiga, as pessoas confundem o bom tratamento que todos devem dar para um bom serviço, achando que estas besteiras que eles oferecem são maravilhas, eu nunca acreditei nisso realmente.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.