10 junho 2010

Um dia

Ontem meu dia começou com uma aula de Pilates. Como é dificil se auto-observar numa aula dessas. Como o pensamento escapa e ao ser capturado novamente podemos compreender tantas das nossas armadilhas. Eu estava preocupada com as minhas gordurinhas e tentando esconde-las logo onde. Eu, a professora e uma massagista de drenagem linfática que tb é minha colega. Ali é o lugar de mostrar, de ver , de tomar consciência, para melhorar. Passado esse surto de vaidade, compreendi a cada respiração e esforço a importancia que o Pilates vem tendo na minha vida: disciplina, postura, respiração controlada. Não vou "roubar" na contagem dos exercicios, o benefício de fazer tudo certo é todo meu.
Não é bem como eu disse no começo. Meu dia começou mesmo com a minha filha se arrumando para ir para a escola. Acordo as 6.20h ( quando não passo a noite acordada). Levanto e vou ver o café da manhã dela. Pergunto o que ela quer, sim, por que o cardápio muda e as vezes ela quer nutella, geléia ou requeijao. Na torrada ou na bisnaguinha. Enquanto a torrada é preparada apresento o uniforme e começo a insisitir para ela vestir. Hoje temos pouco estresse, por que tanto eu quanto ela sabemos que o horário ideal dela dormir é as 8.00 da noite e não passar disso para ter uma boa manhã.
Durante e depois do Pilates, eu estava muito cansada.Os medos, os aborrecimentos interferem sim, em tudo. Fui para a loja e me aborreci muito mesmo por lá. Ali tem sido um palco onde encontro em geral o que as pessoas tem de pior. Desde o inicio tem sido isso para mim. Mas se Deus quiser, ja mudarei a maneira de ver esse asssunto.
Voltei para casa e chorei sozinha. Encontrei minha filha aqui, com a amiga que contratei. Eu já tinha feito a malinha dela para ir para a casa do pai. Ela tão contente de ir. Levando brinquedos e roupas para deixar la. E eu incentivando. Desde que o apt que moravamos foi vendido, em janeiro, o pai não dormia com ela nos finais de semana que deveria. E assim eu sabia o quanto importante seria para minha filha ir um dia a mais da semana, ontem, do que estava combinado. Ela precisa desse apoio para crescer saudável. Independente do quanto eu saiba que se minha vida está assim hoje, ate no plano da saúde, eu deva atribuir isso ao onus que esse divórcio e essa relaçao me causaram. Injusto, cruel, mas devo salvar a minha filha.
Mais tarde, não tive coragem de voltar para a loja, o trânsito estava como numa vespera de feriado. Corri para chegar a uma aula noturna, que anteciparia a que eu deveria estar hoje de manhã e vou faltar para ir para a loja. A noite estava tão geladinha, nosso clima é privilegiado. Ate o ar de São Paulo a noite parece menos poluido. Assisti uma aula sobre peixes muito, muito boa.
Um pensamento me veio a cabeça: se o dia que estamos vivendo fosse o último de nossas vidas. E sem aquela brincadeira do "o que voce faria?". Se simplesmente não soubessemos que aquele seria o último? Teríamos aproveitado bem, teriamos sido inteiros, teriamos nos deliciado com cada minuto? Ou nos lamentariamos depois pelo desperdício? Se pensarmos nisso vamos começar a contabilizar nossos kaisens diários ( o que é kaisen está em algum post que escrevi) e agradecer pelo ar que respiramos. É a primeira troca que fazemos no dia, com a natureza. Vivamos pois.

8 comentários:

  1. Cam, eu venho vivendo dessa forma...INTENSAMENTE...Muita gente pode achar que é loucura...Nao acho..
    Tenho me sentido, rejuvenescida
    Estou, desde segunda-feira, organizando minha viagem à África..Dessa vez, tenho muitos compromissos por lá...batizados de refugiados, mudancas de alguns, e alguns amigos que vao juntos...
    E já estou estressaada..e só será em setembro..
    bjs e se cuida

    ResponderExcluir
  2. Oi Camille.
    Tem fases na vida que parece que o universo conspira contra nós. Nestes momentos, o amor nos salva. No teu caso (assim como acontece comigo) o amor de e por tua filha. Bom que assim seja.
    Pra cima com a viga.
    Beijo.
    I'm back.

    ResponderExcluir
  3. Cam sei o quanto é difícil, manter um negócio que a gente não gosta e que demande gastos de energia desnecessários. Pelo menos você está pensando em si mesma, isso é bom sinal. Sem contar a sua filha, que te enche de orgulho e felicidade.

    Almocei numa cantina, em frente de casa, mas não liguei muito para as tvs. Estava na padoca?

    Bom fim de semana

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Como não é ligada em futebol, Camille? Te liga! Como disse Nelson Rodrigues, a seleção é a pátria de chuteiras. Vem com a gente: avante, Brasil!!!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Camille,

    Acho que próxima semana começo a fazer pilates, tudo isso porque minha coluna fez o favor de travar. Acho que essa correria faz a gente esquecer de alongar, sei lá, viu... E se hoje fosse o meu último dia de vida? Aff... pode chorar?ahahahah

    Ah, acabei de linkar seu blog também, viu?

    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  6. Camille,

    Não gostei de saber que você chorou sozinha, mas compreendo (pelo restante do texto). Como compreendo da mesma maneira seu horror às paixões. Não apenas compreendo, mas acho sua reação infinitamente coerente e inquestionável.

    Sei sobre a "situação" difícil que você viveu, leio seu blogue. Sigo seu blogue. Não esquenta com o que escrevo no meu, pois quando falo de lixo e fofoca (termos grosseiros, é verdade) é primeiro uma autoreflexão, depois... o resto.

    Certamente o seus textos sobre os momentos difíceis que viveu têm uma mensagem, ainda que seja um simples pedido de apoio, compreensão e empatia. Não é, nem de longe, ao que me referia no meu texto.

    Admiro sua relação com sua filha, também tenho uma, mas ainda não interage da mesma maneira. Quanto ao seu "negócio", tenha paciência. Pois se você ainda insiste nisso, alguma razão há (e não é uma óbvia, já que trata-se de uma mulher inteligente).

    Um abraço,
    Michelle

    ResponderExcluir
  7. Oi,Cam!Td bem?Eu tenho muita vontade de fazer pilates,mas por enqto para uma mera estudante como eu é muito caro,mas quem sabe ano que vem com um bom emprego eu faça.Pois é todas as separações são doloras,mas os filhos não podem pagar o preço do que acabou, vc fez bem em deixar sua filha ir um dia antes pra casa do pai.
    Um ótimo findi!
    Cuide-se!
    Beijossss

    ResponderExcluir
  8. Hoje é dia dos namorados e, como amo criatividade, essa propaganda tem tudo a ver:

    http://www.youtube.com/watch?v=M4nFe8WL-wQ

    Espero que goste.

    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.