27 maio 2008

"Bem-estar do menor"

Cheguei de viagem hoje e cheguei atrazada a blogagem coletiva em defesa da criança. Li o post da Luma, para começar, amanhã lerei todos os outros sem exceção. O assunto mais que merece.
Temos muito a falar a respeito: a menina Isabela, como simbolo de violência doméstica, aquela que se faz em geral, sem testemunhos. Muitas vezes com algumas testemunhas, as mais omissas: os proprios parentes que nada fazem para impedir e ainda se calam, os vizinhos que não "escutam" e por ai vai. Vi uma foto no blog da Laura, de uma criança sendo "abraçada" eroticamente por um adulto. Outra doença social que para mim mereceria o "paredon". Sem perdão. O menino João Hélio , vitima de um horror, como uma seta apontando para um tipo de ser que hoje discute-se nas universidades se são humanos ou não. Se podem juridicamente serem vistos e julgados como humanos ou não. Penso que agora os humanos então estão sendo vistos em toda a sua integralidade. Ou seja, com o nivel de maldade que se pode ter.
Então temos muito a pensar a respeito, só para começar, pensar. Tentar entender aquilo que não é para entender. E agir. Descobrir formas de lutar.
Quando eu tinha 18 anos, descobri que para manter uma criança na FUNABEM, Fundação do Bem-Estar do Menor, custava 4 salários minimos. O suficiente para sustentar toda a familia da criança, sem tira-la do convivio de sua comunidade. Na epoca aquela me parecia ser a luta mais importante de todas. Das desigualdades sociais, principalmente no que tangia as crianças. Acabar com a institucionalização. Diminuir a diferença, a injusta distancia entre uma criança( a nascida em berço esplendido) e o "menor", a pobre, que nunca se tornaria "maior" como mostrava a propria historia da instituição e sua des-integração social.
Agora sei que existem outras lutas, lutas dentro das lutas, sutis, notórias, imensas. Para as quais não dá para fechar os olhos. Portanto, se ouvir barulho estranho, suspeito no vizinho, denuncie. Se perceber uma criança sendo mal-tratada por seus pais em lugar publico, interfira, chame policiais, aconselhe. Mesmo que achem que você tem uma certa "loucura". Não é loucura "se meter na vida alheia" . O mal-estar é de todos. A causa é de todos.
Aproveito o post, para agradecer de coração o imenso carinho com que Elô e Emilio trataram minha filhinha de sete anos, nessa semana em que viajamos juntas. Ela ficou encantada. E nós duas, muito gratas, por tanta amizade, calor humano e delicadezas.
Beijos para todos,
Cam

8 comentários:

  1. denise23:19

    Camille,
    Você usou a palavra 'loucura' e é por aí mesmo. E o pior é que a denúncia é algo que ainda deixa quem a faz se sentir culpado pelo destino da criança. Quando ouvimos 'barulho estranho', ficamos meio incomodados , mas acabamos nada fazendo. É uma situação difícil.
    beijo, menina

    ResponderExcluir
  2. Muito bom teu texto. Eu achei legal a iniciativa, mas nem sempre dá para participar de todas as blogagens, por mais interessantes que elas sejam. Eu também gostava de Zélia, tenho vários livros dela e me diverti muito com a leitura. Infelizmente não trouxe para cá e agora gostaria de re-lê-los. Boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Manazinha o povo acha desculpa para tudo para ser omisso. Ai quando um caso desse ocorre do lado de casa morre dizendo nao ter visto

    ResponderExcluir
  4. CAmille

    Adorei sua visita e comentario em meu blog e também quero parabenizá-la por esse texto belíssimo que escreveu. Virei mais vezes, prometo.

    beijos

    Rose

    ResponderExcluir
  5. Oi, Camille, tudo bem ??
    Vim conhecer seu blog e estou convidando o pessoal para participar da Blogagem Coletiva Contra o Tabagismo, que acontecerá neste sábado, 31 de maio, que é o Dia Mundial Sem Tabaco ..
    Caso queira participar, tem as informações no meu blog, o selo com o post está na coluna à direita. Caso não possa também não tem problema, mas desde já agradeço a atenção ..
    Obrigado e independente da Blogagem espero que possamos manter contato, voltarei aqui mais vezes !!
    Abraço, até mais !!

    ResponderExcluir
  6. Camille,

    parabéns pelo texto, curto, claro e direto! A mensagem principal é essa mesmo: DENUNCIE! META-SE NA VIDA ALHEIA! Só assim estaremos fazendo realmente alguma coisa contra a violência infantil, sem "omissões des-confortáveis".

    ResponderExcluir
  7. Anônimo22:21

    Camile querida,mais uma vez parabens pelo texto.Com certeza, não consigo assistir a tanta violência sem denunciar os culpados.
    Por motivo de doença na familia estou um tanto afastada, mas não pretendo deixar de visitar e de atualizar o meu blog, mesmo que demore. O Cristalino me fez conhecer gente linda como você.
    Beijos, Edna

    ResponderExcluir
  8. Passando para desejar um bom findi amiga!!!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.