21 junho 2012

Filmes no Avião. Quanto clichê.

  Para fazer o tempo passar, em uma viagem longa, vale-quse- tudo. Até assistir um filme atrás do outro. Levei revista e livro, mas estava com pouca concentração e nenhum sono. O jeito foi a tal multipla escolha de filmes, num voo diurno  ( na classe economica com o ticket mais barato que encontrei,  cada vez com poltronas menores..Ok, fui e voltei, tou viva e com uns filmes a mais na cachola.)

  Optei pelos franceses, quase todos os outros eu ja tinha visto.  Um deles,  Intouchables era sobre um homem tetraplégico e riquíssimo,  que precisa de um cuidador. . Ele, bonito, inlitegente e charmoso, (o bom ator François Cluzet), faz uma boa escolha: o que menos parecia ser o melhor.. Desbocado, sem currículo, sem escolaridade, sem experiência , mas com total capacidade de empatizar(o bom ator Omar Sy) e não tratar alguém com deficiencia( quem não as tem?) como se fosse um doentinho qualquer. De ser humano para ser humano, oba!!! O filme vai ser bom. Me ajeito na poltroninha, animadamente.


  O filme vai passando: o cuidador é engraçado e faz seu patrão sorrir. Boa! E ai uma sucessão de cenas: os dois com prostittuas, os dois fumando maconha, os dois dando muita risada da vida, os dois com o carro a toda velocidade. Ops, já vi esse filme e quando eu vi era muito melhor: "Perfume de Mulher" com Robert de Niro. Deve ter sido a referencia da "cópia" do diretor. O ator principal, e especialmente nesse personagem,  está a cara do De Niro. O cuidador é um ator lindo e simpático, de 2 metros de altura, isso é diferente do outro filme. E tb diferente. na quantidade de clichês: é enfatizado até cansar, que o cuidador nada sabe sobre artes plásticas, desdenha de grandes artistas e acaba se tornando um bom pintor. Desdenha tb de todos os valores burgueses apresentados, um a um, como se fosse tudo de bom desdenhar e ao mesmo usufrir  a fundo dos prazeres da riqueza, deixando laaaaá longe, sua familia pobre. Então resumindo: uma sucessão de valores burgueses sendo criticados de forma tão ridícula quanto os próprios, por que sem criatividade, inventividade ou novidade. Até ai ok.  Foi apenas um filme e c'est fini.

  Mas heis que vou para a segunda comédia ( que  nao  lembro o nome): Isabelle Huppert( uma das atrizes-musas do cinema frances- ha uns 30 anos com o mesmo rosto- será que francesa além de não engordar, também não envelhece?) Enfim, ela é otima em qualquer coisa e seu par também, um grande ator que de vez em quando vejo em algum filme- desculpe o mau-jeito da falta de nomes. Ja ja procuro na internet e coloco aqui. Eles formam um casal de ricos entediados. A cozinha precisa de obras e contratam um operário. Pronto.  O casal está em crise, o marido arruma uma amante zero km e esposa, na volta do trabalho, ( sim, rico de filme frances trabalha) fica sozinha em casa,. Taí. O operario (outro excelente ator, belga)  é um sujeito engraçado, inteligente, que se dá bem com o casal, vai se tornando íntimo da família entediada. Daqui a pouco está brincando com os filhos, por que ele sabe brincar. Conversando conversas interessantes, por que ele sim, sabe conversar.  E logo: "o que é isso? Obra de arte? Ridiculo, nao entendo, isso é uma tela em branco" e bla, bla. bla. Vem o rolo compressor de clichês sobre o dia-a-dia dos ricos,  com seu verniz cultural. Ele como o encanador e representante da classe operária, está certíssimo. O filme é que como filme é uma chatice, igual a muitas, inclusive ao outro filme que eu tinha acabado de assistir no mesmo võo.


  Para que "gastar",  aqueles cinco atores excelentes em filmes sem eira nem beira. E principalmente, lotados do começo ao fim de lugares comuns? Tudo parecendo, ao desavisado, uma crítica inteligente. Mas como essa crítica inteligente ja foi feita tantas vezes,  por tantos e da mesma forma, se transformou num gigantesco clichêzão. E é bem capaz de nem passar no Brasil, nossas platéias não aturam isso. Preferem filme de Rambo em ação, ou qualquer outra porcaria torturante. O fato é que dessa vez, acho que  têm razão...

8 comentários:

  1. Hummmmm, Intouchables, também vi e sabe o que mais, tô achando que o cinema francês tá querendo agradar a muita gente ultimamente, o tal negócio de 'politicamente correto', sei lá!
    Achei também um pouco baboseira e só serviu mesmo pra passar o tempo interminável desses voos, pois sou que nem você, me preparo toda, levo livro, tomo meio rivotril, mas sono que é bom não aparece e aí fico zapeando aquela telinha. No final das contas, acabo vendo a rota do avião pra ver se já tá quase chegando. coisa de maluquinha mesmo. hehe
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tambem olho aquilo, acho que voce é das minhas: fica "segurando" o aviao, para nao cair.Mesmo que seja meio incosnciente. Do cinema frances tb concordo, acho que eles estao tentando sair do papo cabeça e entrar na comedia. Nao sabem ainda. Ja vi outras drogas nesse sentido. Tipo Catherine Deneuve( voce viu o ultimo? Da ate do dela, cantando naquela casa toda azul)
      Mas esses dois vistos seguidos deu pra pinçar mesmo o que havia em comum: clichesada horrivel.
      Bjao e bom final de semana!!!

      Excluir
  2. Cam, o primeiro filme eu assisti no cinema coim o Christian e ele ainda é sucesso de bilheteria por aqui há mais de 3 meses.

    Eu adorei o filme.

    O segundo nem ouvi falar.

    Bom fim de semana


    Bjao

    ResponderExcluir
  3. Talvez o problema tenha sido assistir os dois de uma vez só. Bjos e boa semana!
    Cam

    ResponderExcluir
  4. Oi Camille!

    Desses só assisti Perfume de Mulher, o filme é bom, porém Al Pacino é excelente! Já percebeu que sou fãzona rsrsrrs

    Gosto de assistir filme p/ relaxar e viajar...

    Beijooooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tambem sou Bia, ele é O cara...
      Bjao

      Excluir
  5. Camille, fiquei lembrando de uma longa viagem que não aguentava mais ver as mesmas chatices, tudo filme que já conhecia e de repente, ainda repetiram um deles!

    Quanto a filme frances, eu gosto, normalmente tenho sorte quando vejo algum.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Pois é Sssym, so filmes franceses ja nao sao mais os mesmos. Essas comedias que procuram a formula amaricana de fazer filmes, esvazia o que o frances tem de melhor. Observação dos detalhes, pequenos gestos, sutilezas... E em muita copia mesmo, do enredo, das piadas, enfim... Bjao querida. BOm final de semana!

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.