08 fevereiro 2012

Meninas, vamos falar dos nossos amores?



Hoje passei o dia no computador, mais um. Trabalhando naquilo que gosto. Por isso foi bom. E chega essa hora estou acesa, embora tenha ido a uma aula de pilates para “gastar” colesterol ruim e energia sedentária.
Que falta de glamour nesse texto não é? Verdade, estou sem paciência, com sono e sem sono. Um pouco preocupada com coisas que não deveriam me dizer respeito.
Mas sou assim mesmo. Sintoma de cuidadora. Incorrigível.
O que está se passando moças?
Estão sofrendo por amor, é? Não sofram. Não vale a pena. É só dar uma meditada em como suas histórias começaram. Cheia de apelos e promessas que trouxeram alegria para a vida de vocês. Sonhos.
Difícil quando alguém nos oferece um sonho e depois quer pegar de volta não é? Sei como é isso. E é essa a dor da perda que se sente. É esse o luto que interessa. Do sonho lindo que a sua cabeça crédula, criativa idealizou e que de repente , como se amanhecesse bruscamente, você é acordada.
Estava sonhando sim. E não adianta voltar a dormir, por que o sonho raramente se repete( a menos que seja uma patologia...). Acordou. Acabou. Acabou. Acordou. Então acorda. Desperta. Fica esperta. Abre os olhos.
Hoje quando amanhecer vai ser um dia lindo. E eu quero dizer a vocês que podem contar comigo. Querem desabafar além mar? Conversar? Entender?
E estejam certas. Essa vida bonita pode ser construída com quem de fato puder criar laços. Outra pessoas virão para sonhar seus sonhos com vocês. E realizar. Tenho certeza disso. E sabe por que? Por que vocês descobriram o que querem- felicidade, cumplicidade, verdade, transparência, não no sentido de ver através de quem se camufla . Mas alguém de alma clara.
O mínimo que podemos fazer é criar uma egrégora, mulheres sábias, capazes de sintonizar em uma energia comum e interessante.
Já fez sua mamografia desse ano ou semestre? Pois faça. Também vou fazer a minha. E vai estar tudo bem. Mas é importante se tocar. Num amplo sentido.
Sabe o que Barba Azul, Dom Juan e o sultão do castelo de Sherazade tinham em comum? Diversas afinidades. Mas uma era a principal.
Quem acertar ganha um prêmio. Prometo que dessa vez não será um saquinho de balas 7Belo. Vai . Vou procurar doces mais gostosos, brigadeiros talvez.
Meninos podem participar. Beijão. Boa noite e fiquem bem meninas.

10 comentários:

  1. eu ando muito ansiosa e nada a ver, já q essa época tudo se arrasta não anda. ansiedade só parece q arrasta mais. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Oi Cam! Não sei o que os três tinham em comum, mas estou curiosa para descobrir! Gostei da imagem do sonho que não se repete - por isso vale a pena ficar acordada também, realizando por conta própria o que outros não poderão fazer por nós! beijos, Deia.

    PS: Já estou em Sampa (até o carnaval!). Rola um café entre 5ª e 6ª em Moema? Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Cam!
    O que é isso, tá com bola de crista aí? hehe
    Como sabe que tem tanta mulher ansiosa, preocupada demais?
    É assim que estou ultimamente, nem ideias para escrever tenho, pois as tristezas que venho presenciando têm me tirado as inspirações. Tantos amigos com problemas e por último agora, uma morte absurda em S.José dos Campos de um amigo, pai de um menino que gosto muito. Você deve ter ouvido falar disso, foi horrível e está na internet.
    Sem contar as amigas doentes, com problemas graves e eu torcendo, dando o melhor de mim para se recuperem.
    O pior é que marquei hoje uma mamografia, mas terei que cancelar, pois uma nova diarista começa a trabalhar aqui em casa.
    Uia, que muro das lamentações né não?!
    Mas, você sabe que o post instigou-me e ao mesmo tempo agradeço pela força que passou no final.
    beijo carioca

    ResponderExcluir
  4. Oi Cam! Seu comentário não entrou mesmo, não tenho moderador de comentários! Me manda um email para rumoaescrita@gmail.com para tentarmos marcar? Pode ser só um cafezinho mesmo, meio espremido entre uma coisa e outra! O importante é nos encontrarmos! Beijocas, Deia.

    ResponderExcluir
  5. Perfeita como cuidadora.
    Os somhos fazem parte da realidade da vida. So não podemos permitir que eles ocupem todo espaço, e não nos deixe viver todo o resto.
    É bom sonhar, mas com consciencia da realidade.
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. Pareces perfeita como que embriagada pelo "porre dos pensamentos da madrugada", dispersos, múltiplos, sem-sentido e sem-fim... "For the women", não é?! Ok, então: todos ao chocolate, à mamografia e ao chororô dos desabafos pelo telefone com as amigas... Anarriê, cuidadosa da madrugada: cuidado! Abraço 'non-sense' pra você!

    ResponderExcluir
  7. Acho que esse foi o comentario mais engraçado e sincero no sentido- vai procurar sua turma- que encontrei por aqui. Certamente, as meninas, entenderam o texto. E ainda tem recado para algumas delas que estão vivendo um mau-momento. Esse post é um ato de solidariedade. Heheheheh.
    Ainda bem que é dia. E o desafio do Bsrba azul? Vai entrar? Talvez voce ganhe, é so conhecer as historias. Estorias? E ligar mariacomjoao....
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cam...

    Olha, nunca pensei assim em que os 3 têm em comum. Acho que sabiam tocar a mulher como ninguém, por isso tão encantadores. Será isso? Mas isso eu falo me lembrando mais de Dom Juan do que dos outros. O homem que sabe tocar uma mulher se torna inesquecível.
    Falar em tocar, preciso marcar mamografia e mais aqueles exames de rotina.... Affff!!!
    Agora, na verdade, eu não espero um novo amor não. Mas se ele vier, estarei aqui, mas sem ansiediade. Isso pra mim já não é um objetivo. Estou muito discrente de tudo isso, mas ainda aberta ao que vier.
    Quem sabe, né???

    Beijos, querida amiga!

    ResponderExcluir
  9. Camille, adorei o texto e concordo: viva a supremacia feminina diante da (antes opressora e fugaz) voracidade masculina! (risos)... Seria essa voracidade do jugo do homem – querendo “abocanhar a emoção da frágil presa-mulher”, encantá-la e tomá-la para si, arrebatadoramente – o princípio de similaridade entre os três conquistadores citados? A propósito, penso que Barba Azul, Dom Juan e o sultão Shariman, de Sherazade, apresentam em comum o fato de – no intuito da conquista sucessiva e descartável – se constituírem em colecionadores inveterados e implacáveis de mulheres; os três as seduziam e depois se livravam delas, em regra. Acho que nos resta – isso me passou seu texto – a prerrogativa de nos salvarmos, escaparmos (quase) incólumes ao jogo da conquista sem volta, como fez a sétima esposa de Barba Azul, que – vitoriosa – sobreviveu ao seu ardil e “partiu para outra”, encontrando e vivendo um novo (e verdadeiro, real, bem intencionado) amor!... Hihihi: divaguei!... tsc tsc tsc... Do seu post, também, fica a ideia da lição de Sherazade, que venceu o seu "opositor" sendo capaz de implementar a magia do amor, inventando a cada dia uma história nova. Acho mesmo que nós, mulheres, somos capazes disso!... Saudações femininas e especulativas :)
    P.S.: Quero saber se terei chance no sorteio virtual do brigadeiro... Hahaha ;)

    ResponderExcluir
  10. Eu concordo com voce sobre criar laços e, principalmente, cuidar deles. I meu love... ahahahahah
    acho que precisa de um analista! Esses homens, quanto mais velhos, mais complicados ficam e depois nao sabem o motivo de estarem sozinhos!

    beijos

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.