30 agosto 2010

The Jone$es- este sim é um filme de vampiros


Acabei de assistir The Jone$es, com Demi Moore e David Duchovny( Arquivo X e Californication). Ter-ri-vel. Eles representam uma família fictícia ( tem um casal de filhos quase adultos) que se infiltra cada vez em uma cidade nova para com seu estilo de vida ultraconsumista despertar o desejo de consumo dos seus falsos amigos.
Tudo é falso: os pertences, os laços criados com a vizinhança, o amor que os une. "Verdadeiras" somente as griffes que exibem e assim ajudam a vender. A familia fake trabalha por pontuação. O homem deve levar seus amigos homens a consumir carros, roupas, acessórios. O mesmo para cada um dos membros dessa "unidade". Uma espécie de Amway extremada.
De tão perfeito, o casal além de invejado pela suposta relação, consegue fazer com que todos almejem ter as suas coisas e não apenas sua família sensacional. Eles se beijam e se amassam na frente dos outros, mostrando com isso que, quem se veste como Demi consegue a incondicional admiraçao do marido, quem dá mil presentes e tem o estilo milionário de Duchovny consegue ter uma vida sexual sempre espetacular com a mulher. Como se a felicidade, ou a imagem dela, pudesse ser comprada a preço fixo.

Catalogado como comédia, O filme me lembrou um remake de um drama, vivido na nova versão por Nicole Kidman, que se chama, se nao me engano de "A Esposa Ideal". Um quase terror, onde os maridos matam suas mulheres e as sustituem por robôs idênticos, só que cordatas , escravas e sempre dispostas a um belo sorriso diante do que quer que se apresente.
Não tem a menor graça.
Só me fez pensar nas distorçoes excessivas que o mundo capitalista provoca e o quanto somos vítimas de tudo isso. Não acredito que nenhum sistema economico traga a felicidade, por que sabemos o quanto todos os "modos de produção" por assim dizer trouxeram com eles suas mazelas. Embora nada pareça ser tão selvagem, fútil e desnecessário quanto passar horas colecionando griffes e se preocupando com isso ao invés de almejar um belo oceano para navegar, uma montanha para escalar, uma boroboleta para observar, um sol para se aquecer. Uma vida de verdade para viver. Quem precisar de uma boa reflexão sobre a inutilidade do mundo capitalista, deve assistir. Mas vou prevenir: não vale a pena.
( foto de divulogaçao encontrada em busca no Google)

2 comentários:

  1. Nunca ouvi falar deste filme...
    Bjks e boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Oi Cam!! Estou animadíssima para assistir ao filme! Conheço pessoas que são exatamente assim, medindo as outras para saberem qual o próximo modelo da Gucci comprar para ser mais fashion do que as demais.Preciso assistir ao filme para dar boas risadas, abraçada com o maridão que não me cobre de jóias mas me ouve, de filhas que de vez em quando colocam calça verde com blusa abóbora, me pergunta "estou linda mamãe?" e eu digo que sim (sugerindo uma outra peça mais adequada ao clima, não essa está ótima se estivesse mais quente!). Enfim, uma linda família "imperfeita"! rsrs! Beijos, Deia.

    ResponderExcluir


COMENTE, DÊ A SUA OPINIÃO. Você é a pessoa mais importante para quem escreve um blog: aquela que lê, que gosta ou não gosta, e DIALOGA.
Bem vindas. Bem vindos. Você pode comentar, escrever seu nome e para facilitar, clicar na opção "anonimo", ou pode se inscrever e comentar. Acho a opção, que se coloca o nome e uma forma de contato, + a opçao anonimo, VALIDA. Grata e aguardo seu comentário.